Hospital penitenciário do RJ diz que preso chegou morto à unidade, mas câmeras mostram detento agonizando | Rio de Janeiro

0
115


A Justiça do RJ determinou o afastamento de dois diretores do Hospital Penitenciário Dr. Hamilton Agostinho de Castro, no complexo de presídios de Gericinó, na Zona Oeste do Rio.

Deiverson do Nascimento Costa e Marcio Marinho Wenceslau Madeira são investigados por irregularidades no atendimento médico ao preso Diego Caetano dos Santos, de 29 anos, no dia 14 de julho deste ano.

Segundo a decisão do juiz Bruno Monteiro Rulière, foram prestadas falsas informações sobre o atendimento ao detento. O hospital informou que Diego chegou morto à unidade, mas as imagens do circuito interno — a que o RJ1 teve acesso — mostram que o preso foi transferido ainda vivo.

“Os fatos indicam um quadro grotesco de violações aos direitos e às garantias fundamentais de presos, falhas grosseiras das autoridades administrativas e outros servidores do Hospital Penitenciário, incluindo fortes indícios de tentativas de embaraçar a efetiva apuração dos fatos”, escreveu Rulière.

Diego estava preso em Campos, no Norte Fluminense, e veio ao Rio de van. Às 14h do 14 de julho, o preso desce do veículo. Com dificuldade de locomoção, o detento, algemado, é encaminhado para a portaria da unidade.

Em corredor externo, Diego é encostado na parede e cai ao chão.

Preso aparece andando no corredor de hospital penitenciário do Rio — Foto: Reprodução / TV Globo

Enquanto um agente cuida da documentação, o preso parece agonizar e fica sozinho por alguns instantes.

Um profissional de saúde aparece e busca uma cadeira de rodas, mas Diego não tem mais forças e é colocado na cadeira aparentemente desmaiado.

O agente que o acompanhava retorna e tira as algemas de Diego. Ele e o atendente do hospital conversam e verificam os papéis.

Segundos depois, Diego é levado para dentro. Na decisão, o juiz destaca que “o seu atendimento teve início apenas às 14h51” — quase uma hora após chegar ao hospital.

No atestado de óbito de Diego, o médico Breno da Silva Cantizani informou que a causa da morte de Diego foi “indeterminada”.

Detento é colocado em cadeira de rodas depois de cair no corredor de Hospital Penitenciário — Foto: Reprodução / TV Globo

VÍDEOS: Os mais vistos do Rio nos últimos 7 dias



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui