‘Estamos expostos’: dizem estagiários de medicina que ficaram sem vacina contra a Covid-19 em Macaé, no RJ | Região dos Lagos

0
22


Estudantes do curso de Medicina da UFRJ campus Macaé que já estão estagiando em unidades de Saúde do município denunciam que ainda não foram imunizados contra a Covid-19, mesmo estando na linha de frente do combate à Covid-19.

De acordo com o grupo, cerca de 250 estagiários da rede municipal de Saúde estão nesta situação.

Ana Luíza Pontes está no penúltimo período do curso e está entre os estagiários que não foram incluídos na vacinação do município. Diabética, a estudante teve Covid-19 recentemente e relata o medo de atuar em unidades de saúde sem estar imunizada.

“A sensação é de abandono mesmo porque a gente faz o máximo para oferecer o melhor da Saúde pública pras pessoas. A gente está em diversos campos oferecendo o melhor que a gente pode e não tem suporte nenhum”, afirmou a estudante.

“A gente está realmente exposto e vulnerável”, disse Ana Luíza.

Paulo Fernando também está no penúltimo período de Medicina, e só foi vacinado porque estagiou no Rio de Janeiro. Em Macaé, os alunos chegaram a ser convocados, mas a imunização não aconteceu.

“As respostas que a gente tem da prefeitura são respostas pouco objetivas. Eles pediram para nós irmos aos pontos de vacinação, inclusive, foi uma exigência da própria prefeitura que nós trabalhássemos no voluntariado para conseguir a imunização”, conta Paulo Fernando.

Em nota, a secretaria de Saúde de Macaé afirmou que vacinou os estudantes da UFRJ dos cursos de medicina, farmácia, enfermagem e nutrição que atuam na rede municipal de saúde, mas os estagiários explicam que apenas os alunos do último período receberam a vacina.

Os estudantes destacam que a vacina é importante pra todos os alunos da saúde, não só os da medicina.

“É muito importante vacinar todos os estagiários da Saúde. São todos estudantes expostos, são todos estudantes que estão em risco de saúde”, disse Paulo Fernando.

A Prefeitura de Macaé anunciou para a próxima segunda-feira (7) a vacinação de mais alunos da área da saúde, mas ainda não esclareceu quais cursos e períodos serão contemplados.

Enquanto isso, os alunos seguem na insegurança.

“Nós não estamos furando fila. A gente está pedindo para que o nosso direito seja cumprido, que o dever que os órgãos públicos têm conosco seja cumprido. É um direito que a gente seja vacinado. É um direito que a gente esteja protegido para trabalhar para a população”, disse a estudante Ana Luíza Pontes.

O G1 entrou em contato com a UFRJ para saber se a universidade acompanha o caso e aguarda o retorno.



Fonte: G1