Cúmplice em estupro da própria filha de 12 anos é presa e autor segue foragido após fazer outras vítimas em motel de Miracema, diz polícia | Norte Fluminense

0
16


A mãe de uma menina de 12 anos foi presa nesta sexta-feira (27) em Miracema, no Norte Fluminense, após investigação da Polícia Civil apontar que a mesma estava envolvida no caso de estupro contra a própria filha praticado por Moisés Alves de Matos, de 44 anos, que, até este domingo (29), ainda não havia sido localizado pela polícia.

Moisés, que é ex-tesoureiro da Câmara de Vereadores de Miracema, já era considerado foragido por força de mandado de prisão temporária depois que investigações apontaram que ele havia estuprado em um motel da cidade dois irmãos: uma menina de 11 anos e um menino de 8 anos de idade.

“O menino filmou o estupro de sua irmã no celular de Moisés a mando do mesmo, e, acidentalmente o menino postou o vídeo no Instagram do autor. Para entrar no motel, Moisés colocou as crianças abaixadas no banco de trás de seu veículo. As investigações comprovaram toda a veracidade do fato, inclusive através de câmeras de segurança”, disse a Polícia Civil.

Foi durante a continuidade das investigações, com apoio do Conselho Tutelar, que a 137ª Delegacia de Polícia chegou até a terceira vítima, a menina de 12 anos. O delegado Gesner César Júnior conta que ela também foi levada por Moisés, com a ajuda da própria mãe da menina, a um motel da cidade, onde foi estuprada. A mãe, segundo apontam as investigações, recebeu dinheiro dele.

“Nesse mesmo dia, após praticar atos libidinosos com a vítima, Moisés, na presença da vítima, manteve relações sexuais com a genitora da vítima. A equipe da 137 DP – Miracema diligenciou no local onde recolheu diversas provas que comprovaram o depoimento da vítima”, conta o delegado.

Em atendimento à representação da Polícia Civil, o Juízo da Vara da Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher da Comarca de Miracema decretou a prisão preventiva de Moisés Alves de Matos , que já tinha prisão temporária, e também decretou a prisão preventiva da mãe da vítima.

“Consta também que a genitora da vítima realizou chamada de vídeo para Moisés, no qual exibia a vítima nua enquanto Moisés se masturbava. Consta ainda, segundo relato da vítima, que, por diversas vezes, a genitora da vítima fez vídeos e tirou fotos da filha nua e as enviou a Moisés”, disse a polícia.

A polícia afirma ainda que a menina sofria ameaças da mãe para não contar a ninguém o que ocorria, dizendo que “‘se esta o fizesse, a deixaria roxa e que se descobrisse alguma denuncia, mandaria os meninos do morro matarem seus avós, os quais são muito próximos”.

Apenas a mãe da menina foi localizada. Segundo a polícia, Moisés Alves de Matos segue foragido, estando pendente de cumprimento um mandado de prisão temporária e um mandado de prisão preventiva.



Fonte: G1