Acordo permite abertura do comércio no Rio durante o carnaval | Rio de Janeiro

0
14


Um acordo firmado entre a Fecomércio-RJ e o Sindicato dos Trabalhadores no Comércio do Rio de Janeiro prevê a abertura das lojas em todo o estado no período do carnaval, dias quem que elas normalmente estariam fechadas.

Na terça-feira (17), que é feriado, e na Quarta-feira de Cinzas (18), quando o comércio só reabriria após o meio-dia, este ano as lojas poderão ficar abertas para receber os consumidores. O acordo não obriga a abertura das lojas, os comerciantes é que vão decidir, segundo a Fecomércio.

Como a segunda-feira de carnaval já seria um dia normal de trabalho, os comerciantes podem ter três dias a mais de trabalho em um mês que é mais curto.

São 314 mil estabelecimentos em todo o RJ, que respondem por dois terços da atividade econômica do estado, e reúnem 60% dos postos de trabalho com carteira assinada. Cada dia de trabalho, representa R$ 2,5 bilhões movimentados na economia fluminense.

“Acho que no momento o que a gente precisa é que a economia gire e que as pessoas mantenham seus empregos, que é o mais importante, e mantenham seus negócios abertos que é um grande problema que a gente está tendo hoje”, afirmou Carlos Pinho, Consultor Jurídico da Fecomércio.

O acordo é importante para a economia, mas levanta uma questão importante. Se o carnaval foi cancelado para evitar aglomeração, as lojas abertas nesse período poderiam levam a um movimento maior de pessoas nas ruas.

Empresários ouvidos pelo RJ2 dizem que isso não irá acontecer já que eles estão seguindo os protocolos determinados desde o início da pandemia da Covid-19.

“Eu tenho um recado importante também para a população de que quanto mais próximo da normalidade forem esses dias, mais afastada fica a hipótese de aglomerações relacionadas ao carnaval. Eu acho que isso é positivo também para evitar que esse período sem carnaval seja possivelmente confundido por um período que possam ter eventos com aglomerações por todo o país.”

Na opinião de Marcos Lago, coordenador do setor de controle de infecção do Hospital Pedro Ernesto, se os protocolos contra o novo coronavírus foram seguidos, as chances de contágio durante a abertura das lojas podem diminuir.

“Elas têm que ser adotadas. Então vamos fazer de forma que a gente tenha a medida mas que não aglomere”, disse.



Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui