Primeiro atleta brasileiro na Vila de Tóquio conhece restrições e ‘atmosfera boa’ – 15/07/2021 – Esporte

0
15


Primeiro atleta brasileiro a entrar na Vila Olímpica de Tóquio, João Victor Marcari Oliva chegou ao local na última noite e disse ter colhido primeiras impressões positivas, apesar de todas as restrições impostas pela pandemia da Covid-19.

“Dormi, acordei hoje, passei no refeitório, fiz o teste saliva e vim para cá, ainda não vi muita coisa”, ele contou a jornalistas na manhã desta sexta (16), no horário de Tóquio. “Tem mais restrições, mas mesmo assim atmosfera é boa e estamos contentes de estar aqui.”

O cavaleiro de 25 anos, que compete na modalidade de hipismo adestramento, está em sua segunda Olimpíada, após ter participado na Rio-2016. Ele foi medalhista pan-americano de bronze na competição por equipes em Toronto-2015 e Lima-2019.

Num dos poucos locais que frequentou até agora, o refeitório, o atleta disse ter notado algumas das restrições. “Nas mesas têm separação com vidros. Cada um come separado, você consegue enxergar as pessoas, mas não tem contato porque são como se fossem cabines. A comida é boa, tem muitas opções e o refeitorio grande.”

Após ter terminado na 46ª posição há cinco anos, o filho da campeã mundial de basquete Hortência afirmou que sua meta em Tóquio é melhorar a posição, consciente de que tem um longo caminho a ser percorrido num esporte que permite carreiras longevas. “Ainda sou novo para o meu esporte e ainda tenho muito tempo para ir lapidando e melhorando cada vez mais.”

João Victor forma o conjunto com o cavalo Escorial Horsecampline, que chegou até ele recentemente, após o seu antigo animal ter sido vendido. O cavaleiro considerou o adiamento da Olimpíada positivo para se adaptar à nova montaria.

A entrevista com o atleta marcou o primeiro evento organizado pelo COB (Comitê Olímpico do Brasil) na Vila. Os repórteres precisam ocupar uma posição específica sinalizada no chão e ficar afastados do atleta a cerca de 1,5 metro.

Diferentemente de outras edições dos Jogos, só é possível encontrar pessoas que estejam residindo no local com hora marcada. No caso do time brasileiro, com autorização do COB.

A Vila foi aberta oficialmente na última terça-feira (13) com discrição, destoando da histórica cerimônia de boas-vindas aos atletas que chegam para se hospedar no local e participar das competições.

Em razão da pandemia, os atletas só podem circular entre a Vila e os locais de treinamento. Devem chegar cinco dias antes da competição e deixar o local dois após seu fim.

O Comitê Olímpico Internacional (COI) estima que 85% dos moradores do local durante os Jogos estejam vacinados contra a Covid-19.

Nesta quinta (15), Tóquio reportou 1.308 novos casos da doença, maior número desde janeiro.



Fonte: Máquina do Esporte