Presidente da CBF diz que pretende conversar com Ancelotti em viagem para a Europa na Data Fifa

Ednaldo Rodrigues não descartou a possibilidade de fechar com o técnico do Real Madrid somente na metade de 2024

Reprodução/Jovem Pan NewsEdnaldo Rodrigues em evento na sede da CBF, no Rio de Janeiro
Ednaldo Rodrigues em evento na sede da CBF, no Rio de Janeiro

Presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), o baiano Ednaldo Rodrigues afirmou nesta terça-feira, 6, que pretende se reunir com o treinador Carlo Ancelotti, do Real Madrid, na próxima semana. Em entrevista à Jovem Pan News, o cartola afirmou que a viagem para a Europa, onde a seleção brasileira fará dois amistosos, será fundamental para o futuro da Amarelinha. Além de manter o técnico italiano como plano A, o mandatário também não descartou a possibilidade de fechar com o experiente profissional na metade de 2024, quando seu contrato se encerrar com os madrilenos. “Ancelotti continua sendo o plano A. Nesta viagem que estaremos juntos com a seleção na Europa, teremos uma clareza maior. A partir deste momento, vamos ser sinceros e explicar se é viável ou não. Essa viagem será muito significativa para nós porque está dentro da nossa previsão”, disse. “Olha, eu prefiro analisar tudo após a conversa com o Ancelotti. Pretendo conversar com ele e com o presidente do Real Madrid. Depois disso, teremos uma clareza maior. Se tiver outro plano, vou ouvir outras pessoas antes de tomar uma decisão”, continuou, ao ser perguntado sobre aguardar a definição do substituto de Tite para o ano que vem.

A seleção brasileira fará amistosos contra Guiné, dia 17, em Barcelona, na Espanha; e diante de Senegal, no dia 20, em Lisboa, em Portugal. No compromisso válido pela Data Fifa de junho, a cúpula da CBF tentará cativar Ancelotti. O problema, entretanto, é que o técnico deseja cumprir sua palavra com o Real Madrid. “O problema não é a questão da multa. A questão é ter o contrato. As pessoas querem honrar o contrato, não querem rompimento”, disse Ednaldo Rodrigues, que ainda acredita num acordo. “Não estou convicto. Quando a gente aposta numa ideia, temos que fazer com tudo para que essa ideia dê certo. Ainda acreditamos. Reconheço que vocês não estão no dia a dia, mas queremos essa insistência porque está dentro do tempo desta definição. Temos que acreditar”, finalizou o mandatário.

 



Fonte: Jovem Pan