Polônia diz que não jogará partidas das eliminatórias da Copa contra a Rússia

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Presidente da federação polonesa e jogadores tomaram a decisão de forma conjunta e buscam apresentar uma posição comum ao lado das seleções da Suécia e da República Tcheca

Reprodução/Instagram @laczynaspilkaJogadores da Polônia se posicionaram contra a realização da partida

A seleção da Polônia afirmou que não irá jogar as partidas das Eliminatórias para a Copa do Mundo contra a Rússia. As duas seleções tem confronto marcado pelo play-off que pode levá-las ao mundial deste ano. Além das duas, as seleções da Suécia e da República Tcheca também estão na mesma chave e podem enfrentar a Rússia em uma eventual final. A informação foi dada pelo presidente da federação polonesa de futebol, Cezary Kulesza, neste sábado, 26. Segundo Kulesza, essa é uma decisão certa e estão acontecendo diálogos com as federações suecas e checas para apresentação de uma decisão comum à Fifa. “Devido à escalada da agressão da Federação Russa contra a Ucrânia, a seleção polonesa não vai jogar uma partida de play-off com a seleção russa. Esta é a única decisão certa. Estamos conduzindo conversações russas com as federações sueca e tcheca para apresentar a posição comum da FIFA”, diz o comunicado de Kulesza.

No Twitter, o zagueiro Kamil Glik, um dos mais experientes nomes da seleção da Polônia, publicou um comunicado em que fala pelo nome dos jogadores do time nacional. No documento, os jogadores afirmaram que a decisão de não enfrentar a Rússia é difícil, mas apontaram que existem coisas “mais importantes que o futebol”. Além disso, os atletas mostraram apoio ao jogador Tomasz Kedziora, que joga no Dínamo de Kiev e está na capital ucraniana com sua família neste momento. “Nós, os jogadores da seleção nacional da Polônia, em conjunto com a Federação Polonesa de Futebol, decidimos que, como consequência da agressão da Rússia contra a Ucrânia, nós não pretendemos jogar contra a Rússia nas partidas de play-off. Não é uma decisão fácil, mas existem coisas mais importantes na vida do que o futebol. Nossos pensamentos estão com a nação ucraniana e com nosso amigo da seleção, Tomasz Kedziora, que ainda está em Kiev com a sua família”, diz o comunicado.





Fonte: Jovem Pan