Parsons: Adiamento dos Jogos Paralímpicos deixou atletas aliviados

6

O brasileiro Andrew Parsons, presidente do Comitê Paralímpico Internacional (CPI), admitiu nesta quinta-feira, 26, que a decisão de adiar os Jogos Olímpicos e Paralímpicos de Tóquio 2021 não foi fácil, mas ele ressaltou que os atletas já a compreenderam.

“Quando o adiamento foi anunciado, na terça-feira, para muitos atletas, o alívio superou a decepção. A positividade e a resiliência de nossa comunidade me deixaram tão orgulhoso de ser um paraolímpico. Sim, os planos para 2020 estão suspensos e todos estamos nos adaptando rapidamente a um mundo novo, mas desafios como esse são o que realmente aproxima o Movimento Paraolímpico”, disse Parsons, em comunicado.

Os Jogos Paralímpicos deveriam começar em 25 de agosto e ir até 9 de setembro de 2020, mas foram adiados para 2021. A expectativa é que aconteçam nas mesmas datas. Parsons enalteceu a capacidade de adaptação a adversidade dos atletas paralímpicos.

“Agora, mais do que nunca, é o momento de nos tornarmos os modelos influentes que já somos. A vida paralímpica é tudo sobre ser adaptável. Trata-se de permanecer firmemente plantado em nossas trilhas enquanto encaramos obstáculos inconcebíveis. Trata-se de encontrar soluções criativas e de elevar-se acima para realizar coisas incríveis”, destacou. Ele completou dizendo que é importante que atletas, técnicos e dirigentes se mantenham unidos neste momento.

“Agora, mais do que nunca, é o momento de nos tornarmos os modelos influentes que já somos. A vida paralímpica é tudo sobre ser adaptável. Trata-se de permanecer firmemente plantado em nossas trilhas enquanto encaramos obstáculos inconcebíveis. Trata-se de encontrar soluções criativas e de elevar-se acima para realizar coisas incríveis”, afirmou.

* Com EFE


Fonte: Jovem Pan