Nadadora que desmaiou é proibida de continuar competindo no Mundial de Budapeste

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Anita Álvarez teve a vida salva pela técnica Andrea Fuentes, que pulou na piscina e evitou o afogamento

Reprodução/ Oli Scarffnadadora desmaia na piscina
Anita Álvarez desmaiou durante o Mundial de Esportes Aquáticos

A Federação Internacional de Natação (FINA) anunciou nesta sexta-feira, 24, que a atleta Anita Álvarez está proibida de continuar participando do Mundial de Esportes Aquáticos, que está sendo realizado em Budapeste, na Hungria. O veto acontece após a esportista norte-americana do nado artístico desmaiar durante uma apresentação e ter a vida salva pela técnica Andrea Fuentes, que evitou um afogamento. “A FINA determinou que Anita Álvarez não será autorizada a competir em razão de preocupações com a segurança da atleta. Anita está saudável e vem sendo avaliada exaustivamente por uma equipe médica, levando em consideração seus exames anteriores e a avaliação atual. Ela está bem e não está enfrentando problemas de saúde. Esperamos que a curiosidade mundial pela situação seja espelhada em interesse mundial pelo nosso incrível esporte”, diz a nota.

A medida foi decidida em um encontro entre representantes do Comitê de Medicina da FINA, o médico da equipe estadunidense e outros dirigentes. Ao confirmar o veto, a federação de natação disse entender que “a medida deve ter desapontado a atleta, mas que foi tomada com os melhores interesses em mente”. Horas antes do anúncio, o jornal El País publicou uma entrevista na qual Álvarez confirmava a participação na prova desta sexta, dizendo que não queria faltar ao compromisso para encerrar o Mundial de cabeça erguida. Diante da grande frustração seguida do susto, ela recebeu o apoio da equipe americana, que preferiu não dar uma previsão exata sobre quando a nadadora poderá voltar a competir. Sem Álvarez, os Estados Unidos foi para a piscina disputar a prova livre por equipes e terminou em nono lugar. A China foi a grande campeã, seguida por Ucrânia e Japão, vencedores das medalhas de prata e de bronze, respectivamente.



Fonte: Jovem Pan