Libertadores: Renato Maurício Prado escala Flamengo ideal contra o Tolima

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

O Flamengo agora volta todas as suas atenções para a Libertadores. A vitória por 3 a 0 sobre o América, pelo Brasileirão Série A já é passado. No meio de semana, o desafio será diante do Tolima, na Colômbia, pelo confronto de ida das oitavas de final.

Durante a live UOL Esporte, Renato Maurício Prado aponta para a escalação ideal do Flamengo para encarar os colombianos. O jornalista torce para que Dorival Júnior deixe de fora os jogadores da ‘geração 85’.

“Eu espero, sinceramente, que o Dorival não venha com essa de voltar com Everton Ribeiro, Filipe Luís e volte a jogar com a panela de 85. Aliás, não gostei da entrada do Diego mais uma vez. Compreendo tirar o Arrascaeta. O jogo estava decidido, 2 a 0 já, tira o Arrascaeta para poupá-lo para o jogo com o Tolima. A viagem vai ser complicada. A sensação que eu tenho é que todos os técnicos ficam preocupados em colocar o Diego para jogar em algum momento. Ele até não entrou mal, quase fez um gol, mas me cheira a reedição da patota. Isso é que me preocupa”, diz Renato.

“Pra mim, não tem que jogar com o Filipe Luís lá em cima, mas sim com o Ayrton Lucas. Não tem que jogar com Everton Ribeiro, pelo menos no começo. Tem que jogar, de repente, com Gabigol, Pedro e Arrascaeta. Eu começaria com esse time, mudando apenas a dupla de zagueiros. E outra coisa, Rodinei jogou muito mais do que o Matheuzinho vem jogando. Demonstra mais poder físico e disposição ofensiva”, completou.

Gabigol vaiado pela torcida do Flamengo

Autor do gol que abriu a vitória de ontem, o camisa 9 do Flamengo teve a chance de guardar mais um, mas acabou desperdiçando uma cobrança de pênalti. O lance acabou gerando grande irritação aos flamenguistas presentes no Maracanã.

“Estava 1 a 0, gol meu, erro pênalti e sou vaiado. Agora completei o álbum, todas as torcidas do Brasil me vaiaram – disse o atacante. – Eu treino bastante, vai acontecer de eu errar. Eu tento fazer o goleiro não ir na bola. Bati mascado, campo não estava em perfeitas condições ali, a bola sai mascada. Quando erro, sei que preciso melhorar. Segunda vou treinar e bater mais 500 pênaltis, espero não errar mais, mas vai acontecer, sinto informar”, disse Gabigol ao Premiere.

__________

Todas as nossas reportagens estão em constante atualização. Quem entender (pessoas físicas, jurídicas ou instituições) que tem o direito de resposta acerca de quaisquer de nossas publicações, por ter sido citado ou relacionado a qualquer tema, pode enviar e-mail a qualquer momento para [email protected]