Leco revela seu maior erro à frente do São Paulo e diz: ‘Entrego o clube melhor’

0
22


O presidente do Tricolor, que deixará o cargo no final do mês, fez um balanço de sua gestão e falou da seca de títulos do clube paulista

Rubens Chiri/São Paulo/DivulgaçãoLeco deixará o cargo de presidente do São Paulo no final de dezembro

Carlos Augusto de Barros Silva, o Leco, deixará o cargo de presidente do São Paulo no dia 31 de dezembro de 2020, no final deste mês. À frente do clube paulista desde 2015, o mandatário não conseguiu tirar o Tricolor da seca de títulos, que perdura desde o fim de 2012, com a conquista da Copa Sul-Americana. Reconhecendo alguns erros de sua gestão, o dirigente revelou que demitir o treinador uruguaio Diego Aguirre, no final de 2018, foi o seu principal equívoco.

“Eu não tenho muita dúvida. Foi um erro compartilhado. Não deveríamos ter demitido o Diego Aguirre na reta final do Brasileiro de 2018. O time havia feito uma campanha muito boa até a parada da Copa do Mundo, acabou o primeiro turno na liderança. Houve uma queda de rendimento na retomada, perdemos posições, acabamos nos classificando para a pré-Libertadores. Havia sinais de que o comando do Aguirre sobre o grupo estava desgastado. E aí tanto o Raí quanto eu apostamos que tinha chegado a hora do Jardine, que vinha de um trabalho excepcional em Cotia, tem uma visão muito moderna de futebol, é um estudioso, um profissional muito dedicado e consistente. Na prática as coisas não saem como você imagina”, disse Leco ao blog do PVC, nesta quarta-feira, 9.

O presidente, no entanto, assegurou que deixará o clube mais forte do que quando assumiu o cargo – a eleição para a escolha do próximo mandatário acontecerá no próximo sábado, 12, no estádio do Morumbi, e tem Júlio Casares como favorito contra Roberto Natel. “[O São Paulo sai da minha gestão] Certamente melhor. Em outubro de 2015, quando eu assumi pela primeira vez, o São Paulo vivia um dos momentos mais delicados de sua história. O clube não tinha crédito, não tinha patrocinadores, não tinha um projeto de futebol. Tudo convergia para uma trajetória ruinosa. Foi preciso ter muita serenidade e ao mesmo tempo muita firmeza para juntar os cacos”, falou Leco, que listou o trabalho realizado em Cotia e a recuperação de patrocinadores como principais feitos.

Leco, por outro lado, admitiu que sofre com a falta de títulos e que acredita em uma taça ainda na temporada – o Tricolor lidera o Campeonato Brasileiro e está na semifinal da Copa do Brasil. “Fizemos muita coisa, mas se você perguntar se estou satisfeito, a resposta só pode ser não, claro que não. A frustração do torcedor também é minha. A seca de títulos é incompatível com a grandeza do São Paulo. Mas acredito sinceramente que estamos no caminho certo e próximos de colher os frutos do trabalho que está sendo feito”, complementou.





Fonte: Jovem Pan