Javier Tebas rebate Vinicius Júnior e diz que Espanha e LaLiga não são racistas: ‘São casos pontuais’ 

Dirigente afirmou que a entidade ‘está perseguindo o racismo com dureza’ e contou que recebeu nove denúncias de atos preconceituosos nesta temporada

Pau BARRENA / AFPJavier Tebas é presidente da LaLiga desde 2013
Javier Tevas é presidente da LaLiga desde 2013

Presidente da LaLiga, entidade que rege o futebol espanhol, Javier Tebas voltou a responder Vinicius Júnior através das redes sociais. Após o atacante do Real Madrid exigir punições e dizer que o órgão e a Espanha estão ganhando fama de “racistas” no Brasil, o dirigente rebateu. Em sua conta oficial do Twitter, o cartola afirmou que a LaLiga “está perseguindo o racismo com dureza” e contou que recebeu nove denúncias de atos preconceituosos nesta temporada. Na nota, o mandatário tratou os casos como “pontuais” e frisou que o país não é racista. “Nem Espanha nem LaLiga são racistas, é muito injusto dizer isto. Nós denunciamos e perseguimos o racismo com toda a dureza ao nosso alcance. Nesta temporada, insultos racistas foram relatados 9 vezes (8 deles foram por insultos contra Vinicius). Nós sempre identificamos os energúmenos e registramos a denúncia nos órgãos sancionadores. Não importa quão poucos sejam, somos sempre implacáveis. Não podemos permitir que seja manchada a imagem de uma competição que é acima de tudo um símbolo de união entre os povos, onde mais de 200 jogadores negros em 42 clubes recebem diariamente o respeito e o carinho de todos os torcedores, sendo o racismo um caso extremamente pontual (9 denúncias) que vamos erradicar”, declarou.

Na noite do último domingo, 21, irritado com a resposta da LaLiga após ser alvo de racismo mais uma vez, Vinicius Júnior já havia detonado o órgão. “Não foi a primeira vez, nem a segunda e nem a terceira. O racismo é o normal na La Liga. A competição acha normal, a Federação também e os adversários incentivam. Lamento muito. O campeonato que já foi de Ronaldinho, Ronaldo, Cristiano e Messi hoje é dos racistas. Uma nação linda, que me acolheu e que amo, mas que aceitou exportar a imagem para o mundo de um país racista. Lamento pelos espanhóis que não concordam, mas hoje, no Brasil, a Espanha é conhecida como um país de racistas. E, infelizmente, por tudo o que acontece a cada semana, não tenho como defender. Eu concordo. Mas eu sou forte e vou até o fim contra os racistas. Mesmo que longe daqui”, disse, na ocasião. Na manhã desta segunda-feira, o Real Madrid acionou o Ministério Público da Espanha para investigar os casos.



Fonte: Jovem Pan