Japão veta presença de público nos Jogos Olímpicos após avanço da Covid-19

0
9


A informação foi confirmada pela ministra das Olimpíadas, Tamayo Marukawa, após reunião entre governo japonês, Comitê Organizador de Tóquio e COI (Comitê Olímpico Internacional)

EFE/EPA/KIMIMASA MAYAMAO governo japonês vetou a presença de público nos Jogos de Tóquio

O governo japonês anunciou nesta quinta-feira, 8, que os Jogos Olímpicos de Tóquio serão realizados sem a presença de público devido ao aumento de infectados pelo novo coronavírus – o país comunicou hoje que ficará em estado de emergência durante a realização do evento, de 23 de julho a 8 de agosto. A informação foi confirmada pela ministra das Olimpíadas, Tamayo Marukawa, após reunião entre governo do Japão, Comitê Organizador de Tóquio e COI (Comitê Olímpico Internacional). A decisão já era considerada desde a semana passada, quando o primeiro-ministro, Yoshihide Suga, mostrou preocupação com o aumento de casos de Covid-19 e falou oficialmente em redução de torcedores nas arenas – no dia 21 de junho, o Comitê Organizador havia estabelecido um limite de 10 mil pessoas por evento, desde que o total do público não ultrapasse 50% da capacidade do estádio ou da arena.

Presidente do COI, Thomas Bach desembarcou na cidade de Tóquio nesta quinta-feira. Após a decisão tomada pelo governo japonês, a tendência é que o mandatário convoque uma entrevista coletiva para detalhar os próximos passos dos Jogos Olímpicos de Tóquio. Na imprensa japonesa, especula-se que existe a possibilidade de alguns arenas localizadas fora da capital, que não se encontram em estado de emergência, recebam uma quantidade reduzida de torcedores. “Mostramos a responsabilidade de realizarmos Jogos seguros e protegidos desde o dia do adiamento. E também o mostraremos hoje, e apoiaremos qualquer medida que seja necessária para que os Jogos Olímpicos e Paralímpicos sejam seguros e protegidos para o povo japonês e todos os participantes”, disse Bach, na última quarta-feira, antes do Japão oficializar o veto.





Fonte: Jovem Pan