Japão vence na estreia no softball no início dos Jogos da “esperança”

0
8


A equipe feminina de softball do Japão começou a Olimpíada de Tóquio 2020 com vitória para as anfitriãs, dando o pontapé inicial dos Jogos que, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), podem ser “uma comemoração da esperança”, mesmo com crescimento de casos de Covid-19.

Autoridades olímpicas e japonesas seguiram em frente com o espetáculo do esporte, apesar de haver oposição a receber mais de 11.000 atletas, funcionários e jornalistas no país –dúzias dos quais já testaram positivo para Covid-19.

O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, afirmou que os Jogos têm que seguir em frente para demonstrar ao mundo o que pode ser alcançado com o plano e as medidas certos.

“Que os raios de esperança desta terra iluminem um novo amanhecer por um mundo mais saudável, seguro e justo”, disse ele, erguendo a tocha dos Jogos Olímpicos ao discursar a membros do Comitê Olímpico Internacional (COI) na capital japonesa. “Espero sinceramente que os Jogos de Tóquio sejam bem sucedidos.”

A presença de público nos locais de competição foi proibida e há restrições em Tóquio e nos arredores, onde infecções pela Covid-19 estão em alta, para tentar minimizar os riscos de saúde entre moradores e visitantes.

O Japão, com cerca de 34% da população tendo recebido pelo menos uma dose da vacina, está preocupado que a Olimpíada possa se tornar um evento super-disseminador do coronavírus.

Em uma pesquisa recente no jornal Asahi, 68% dos que responderam expressaram dúvida sobre a habilidade de os organizadores controlarem as infecções, com 55% dizendo que eram contra a realização dos Jogos.

A cerimônia de abertura oficial dos Jogos será na sexta-feira e deve ser uma apresentação reduzida e moderada, segundo Marco Balich, conselheiro sênior do produtor executivo das cerimônias de Tóquio.

Assim como a cerimônia de abertura, o jogo de softball entre o candidato ao ouro Japão e a Austrália foi realizado sem público, entre o zumbido das cigarras e o aplauso educado de algumas centenas de funcionários em um estádio de Fukushima, cidade devastada pelo tsunami e desastre nuclear de 2011.

As jogadoras em pé nos bancos debaixo do sol escaldante –30 graus Celsius no meio do jogo– gritaram para as rebatedoras a manhã inteira, dando ao jogo um ar de liga juvenil.

As infecções por coronavírus continuam entre os envolvidos na Olimpíada, no entanto, com pelo menos mais sete casos positivos, levando o total a mais de 75.

(Reportagem de Paresh Dave e Karolos Grohmann; Reportagem adicional de Tetsushi Kajimoto)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH6K0Q9-BASEIMAGE










Fonte: Mix Vale