Imprensa internacional repercute morte do Rei do Futebol: ‘Tesouro nacional do Brasil’

Jornal ‘The New York Times’ cita Pelé como ‘figura transformadora’ e ‘herói nacional’, enquanto o The Guardian cita conquistas e fala em ‘lenda do esporte’

Gerard MALIE/AFPPelé

A imprensa internacional repercute a morte de Edson Arantes do Nascimento, mais conhecido como Pelé, morreu nesta quinta-feira, 29, aos 82 anos. O jornal norte-americano “The New York Times” falou do Rei do Futebol como “um dos maiores jogadores de futebol de todos os tempos”, “figura transformadora no esporte do século XX” e “tesouro nacional do Brasil”, ressaltando que o ex-jogador ajudou a popularizar o futebol nos Estados Unidos. “Um herói nacional no Brasil, Pelé era amado em todo o mundo – pelos muito pobres, entre os quais ele foi criado; os muito ricos, em cujos círculos ele viajou; e quase todo mundo que já o viu jogar”, diz trecho da reportagem. Já o The Guardian, com título “Pelé, campeão mundial do Brasil e lenda do futebol”, o jornal fala em habilidade cativante, exalta o Rei como o “maior artilheiro de todos os tempos do Brasil” e cita as principais conquistas. Entre elas, os 1.282 gols, “mais que o dobro de seu adversário mais próximo”, diz o texto. “Pelé foi um dos poucos jogadores de futebol a serem reconhecidos pelo público americano em geral na década de 1970”, completa.

O jornal espanhol El Pais, por sua vez, afirmou que, com a morte de Pelé, se encerra uma “era na história do futebol e do Brasil”. “Quem teve o privilégio de vê-lo jogar ao vivo ou em vídeo lembra justamente daquele gol de cabeça com que abriu o placar em seu tricampeonato mundial”, diz a matéria, que narra a história de vida e de louvores do maior jogador do Brasil: “As vitórias do rei do futebol colocaram seu país no mapa. Pelé e Brasil eram sinônimos”, completa o texto. Acima da antiga rivalidade entre Brasil e Argentina, o jornal esportivo Olé destaca na tarde desta quinta a morte do principal amigo de Maradona: “Dolor mundial: murió Pelé”. Em longa homenagem, o veículo argentino afirma que, além da rivalidade entre os países, “ninguém pode duvidar que Pelé foi um dos maiores jogadores de futebol da história” e reconhece que, para muitos, Edson Arantes é considero “melhor acima de Diego Maradona e Lionel Messi”.

Também argentino, o Clarín fala de Pelé como a “estrela incontestável das Copas do Mundo”, relembra os mundiais conquistados e a trajetória no Santos. “Desde os tempos de O Rei, o Santos passou de um time da periferia paulista a um gigante universal. A FIFA o reconheceu nesse sentido: que o Santos foi oportunamente designado como “O Time do Século XX”. Em homenagem semelhante, o Le Monde, da França, foi preciso: “Monarca absoluto da bola redonda, o único jogador a ter conquistado três Copas do Mundo”, inicia o texto, que compara Pelé ao Elvis Presley do futebol. “Como tal, Pelé – e esta é a marca da sua genialidade – é, sem dúvida, o único futebolista cujas falhas foram elevadas à categoria de obras-primas.

 



Fonte: Jovem Pan