Gatito é denunciado e pode pegar gancho pesado por chute na cabine do VAR

0
4


Montagem sobre fotos/Celso Pupo/Alexandre Durão/Estadão ConteúdoO goleiro Gatito Fernandéz, do Botafogo, danificou a cabine do VAR após a derrota para o Internacional no Rio de Janeiro

O goleiro Gatito Fernández foi denunciado pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e pode pegar de 30 a 180 dias de suspensão por ter chutado a cabine do VAR após a derrota do Botafogo por 2 a 0 para o Internacional, no último sábado, 29, pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro. A Procuradoria denunciou o atleta por infração ao artigo 219 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD): “danificar praça de desportos, sede ou dependência de entidade de prática desportiva”. Além do gancho, o arqueiro pode ter de pagar multa estipulada entre R$ 100 e R$ 100 mil.

No próprio sábado, Gatito usou as redes sociais para pedir desculpas por ter chutado a cabine do VAR no Estádio Nilton Santos. No duelo, o time carioca teve dois gols anulados. O jogador, no entanto, criticou os profissionais que operam a ferramenta. “De cabeça fria, agora, é claro que me arrependo. Não é uma postura da qual me orgulho e não deveria mesmo ter feito isso”, reconheceu o goleiro paraguaio, que disse ser favorável à presença do árbitro de vídeo no futebol brasileiro. Ele reforçou que não teve a “postura correta” ao sair de campo, mas não deixou de manifestar seu descontentamento com os profissionais responsáveis por operar a tecnologia dentro da cabine.

“Sei do meu papel, sei que devo dar exemplos. Mas tudo tem um limite e sequer temos um caminho para tentar fazer com que as coisas melhorem na arbitragem. O VAR chegou para ficar e está ajudando bastante o futebol no Brasil e em todo o mundo. O que não pode acontecer é termos profissionais completamente despreparados para usar tal ferramenta”, criticou. O Botafogo teve dois gols anulados contra o Internacional. O primeiro, marcado por Matheus Babi, foi invalidado após o árbitro de vídeo apontar posição de impedimento no lance. A anulação do segundo gol, anotado por Bruno Nazário na etapa final, foi a que mais revoltou os botafoguenses.

No lance, o VAR chamou à cabine o juiz para rever a origem da jogada. Depois ver o vídeo, o árbitro Thiago Duarte Peixoto entendeu que houve falta de Matheus Babi em Patrick no começo do lance e invalidou o tento, causando a revolta dos jogadores do Botafogo. “De cabeça quente, e com tudo que todos viram nas decisões da arbitragem, fica quase impossível não esboçar qualquer tipo de reação”, ressaltou Gatito. “Os atletas precisam ter o direito de participar desta construção de nova arbitragem no mundo. O que está acontecendo na atualidade não nos satisfaz”, concluiu o goleiro.

*Com informações do Estadão Conteúdo





Fonte: Jovem Pan

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui