Futebol internacional em 2020: Lewa protagonista, Ronaldinho preso e Bayern dominante

0
17


Entre janeiro e dezembro de 2020, mundo coroou Lewandowski, perdeu Maradona, viu um ex-melhor do mundo ser preso e assistiu a uma disputa que quase resultou na saída de Messi do Barcelona

Montagem sobre fotos – Reprodução/Jovem Pan, EFE e ConmebolLewandowski e seu Bayern de Munique fizeram bonito, mas fã de futebol também chorou por Maradona e ficou apreensivo com a prisão de Ronaldinho

Torneios interrompidos devido à pandemia, campeonatos de seleções adiados, Bayern de Munique campeão da Liga dos Campeões da Europa, Ronaldinho Gaúcho preso no Paraguai, morte de Diego Armando Maradona. O ano de 2020, sem dúvida nenhuma, foi marcante no futebol mundial. Para relembrar os principais fatos dos últimos 12 meses, a Jovem Pan preparou uma retrospectiva. Veja abaixo.

Efeito Coronavírus

Assim como todas as áreas do planeta, o futebol internacional foi fortemente afetado pela pandemia da Covid-19. Em meados de março, a Liga dos Campeões e quase todos os campeonatos nacionais foram interrompidos devido ao aumento no número de infectados pelo novo coronavírus. Com os portões fechados e protocolos sanitários contra a doença, a bola voltou a rolar inicialmente na Europa. O planejamento de grandes entidades como Fifa, Uefa e Conmebol, no entanto, precisaram ser alterados. A Copa América e a Eurocopa, por exemplo, estavam marcadas para a metade de 2020, mas tiveram as datas alteradas para o mesmo período do ano que vem. Já a Liga dos Campeões e a Liga Europa foram encerradas em maratona com sedes únicas.

Bayern de Munique dominante

Thiago Alcântara foi um dos destaques do título do Bayern de Munique na última edição da Champions League

O time alemão foi, sem dúvida, o melhor em todo o planeta neste ano. Além de vencer o Campeonato Alemão e a Copa da Alemanha, os dois principais torneios locais, o Bayern de Munique também sagrou-se campeão da Liga dos Campeões da Europa 2019/20, em campanha irretocável que contou com 11 vitórias e 100% de aproveitamento. No percurso, o Gigante da Baviera passou fácil pelo Chelsea nas oitavas, atropelou o Barcelona com direito a uma goleada histórica por 8 a 2 nas quartas, derrotou o Lyon com sobras na semi e bateu o PSG na grande decisão. O mérito, claro, vai para Robert Lewandowski, Thomas Muller, Manuel Neuer, Joshua Kimmich e todas as estrelas que brilharam ao decorrer de 2020. Um nome, no entanto, não poderia faltar: o de Hans Flick. O treinador mudou a forma de o time jogar na virada do ano e transformou a equipe alemã em uma máquina. Na atual temporada, o Bayern segue implacável: ganhou a Supercopa da Europa, lidera de novo a Bundesliga e terminou na primeira posição do seu grupo na Champions.

Lewandowski melhor do mundo

Se o Bayern de Munique foi o melhor time, Robert Lewandowski foi o melhor futebolista. Artilheiro da Liga dos Campeões, do Alemão e da Copa da Alemanha, o polonês desbancou os sempre favoritos Lionel Messi e Cristiano Ronaldo para ganhar o Fifa The Best 2020, prêmio da entidade máxima de futebol dado ao principal jogador da temporada. O centroavante, que também ganhou outras premiações ao longo do ano, só não arrebatou a Bola de Ouro porque a revista “France Football” decidiu não realizar sua cerimônia em razão da pandemia da Covid-19.

Messi quase deixou o Barcelona 

Lionel Messi nunca esteve tão perto de deixar o Barcelona como agora

E por falar em melhor do mundo, Lionel Messi, que recebeu o seu sexto prêmio da Fifa em 2019, teve um ano para se esquecer. O argentino, é verdade, terminou o Campeonato Espanhol 2019/20 como artilheiro e garçom do torneio. Apesar disso, o craque não celebrou um título sequer, algo que não acontecia desde o longínquo 2008. Os resultados ruins, o mau relacionamento com o então presidente Josep Maria Bartomeu e os erros de planejamento da diretoria catalã fizeram com que o astro demonstrasse publicamente o desejo de sair do clube, notícia que caiu como uma bomba na imprensa esportiva mundial, em agosto. Messi, no entanto, se viu impossibilitado devido a uma cláusula contratual e adiou a despedida… Talvez em 2021, quando o seu contrato com o Barça se expira.

Liverpool voltou a ser campeão inglês

Após 30 anos, o Liverpool voltou a comemorar o título do Campeonato Inglês – o primeiro da era Premier League. Dono de uma campanha quase perfeita, o time de Jurgen Klopp terminou a temporada 2019/20 com 18 pontos a mais do que o segundo colocado, o Manchester City. Nos outros países, o Real Madrid conquistou o Espanhol após dois anos, a Juventus ganhou o Italiano pela nona vez consecutiva, o Bayern levantou a taça do Alemão pelo oitavo ano seguido e o PSG faturou o Francês mais uma vez.

Ronaldinho Gaúcho preso no Paraguai

Ronaldinho Gaúcho está preso há mais de um mês no Paraguai

Campeão mundial com a seleção brasileira em 2002 e eleito o melhor do planeta em duas oportunidades (2004 e 2005), Ronaldinho Gaúcho passou quase metade de 2020 detido. Em 6 de março, o ex-craque e seu irmão, Roberto de Assis, foram presos na cidade de Assunção, no Paraguai, por entrar no país com documentos falsificados. A dupla ficou encarcerada em um presídio por um mês e cumpriu prisão domiciliar em um luxuoso hotel por mais quatro até ser liberada em 24 de agosto. A Justiça paraguaia atendeu um pedido do Ministério Público local e suspendeu o processo mediante ao pagamento de US$ 200 mil (cerca de R$ 1,1 milhão). Livre, o ex-jogador retornou ao Brasil, onde contraiu a Covid-19, mas não teve complicações.

Mercado mais morno na Europa 

A janela de transferência de verão na Europa costuma ser agitada. Devido à queda nas receitas dos grandes clubes em decorrência da pandemia, entretanto, o mercado ficou enfraquecido e poucas contratações bombásticas foram feitas. A exceção, com certeza, foi o Chelsea, que abriu os cofres após ser impossibilitado de contratar em 2019. Os “blues” montaram um forte time com as chegadas de Thiago Silva, Timo Werner, Zyiech, Ben Chilwell e Kai Havertz. A contratação de Cavani pelo Manchester United, a troca entre Juventus e Barcelona envolvendo Pjanic e Arthur, a chegada de Luís Suárez ao Atlético de Madrid e a aquisição de Thiago Alcântara pelo Liverpool foram outras movimentações marcantes.

Morte de Maradona

Maradona em julho de 2018

Uma notícia deixou o já conturbado ano de 2020 mais triste. Diego Armando Maradona, um dos melhores jogadores da história do futebol, morreu no dia 25 de novembro, pouco depois de completar 60 anos de idade. O herói da Argentina na Copa de 1986 não resistiu a uma parada cardiorrespiratória e faleceu em sua casa, na cidade de Tigre, localizada a 30 km da capital Buenos Aires. Como não poderia ser diferente, celebridades do esporte e fora dele prestaram condolências ao “Pibe”, como ficou conhecido o icônico jogador. Para piorar o luto do povo argentino, Alejandro Sabella, treinador da Albicelste no Mundial de 2014, viria a óbito semanas depois, no dia 8 de dezembro.





Fonte: Jovem Pan

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui