Fifa abre processo disciplinar contra equatoriano Castillo; Chile sonha com vaga na Copa do Mundo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Caso a entidade puna a seleção do Equador pela possível irregularidade na documentação, a vaga no Mundial do Catar trocaria de mãos

ALBERTO VALDES / POOL / AFPByron Castillo, do Equador, marcando Jean Meneses, do Chile, durante partida das Eliminatórias Sul-Americanas
Byron Castillo, do Equador, marcando Jean Meneses, do Chile, durante partida das Eliminatórias Sul-Americanas

As esperanças do Chile em participar da Copa do Mundo do Catar, entre novembro e dezembro, aumentaram significamente nesta quarta-feira, 11, após a Fifa anteder ao pedido da Federação Chilena de Futebol e abrir processo disciplinar contra o zagueiro equatoriano Byron Castillo. Assim, caso a entidade puna a seleção do Equador pela possível irregularidade na documentação, a vaga no Mundial trocaria de mãos, com o Peru indo diretamente e o Chile participando da repescagem com o vencedor de Emirados Árabes x Austrália, em junho.

A Federação apresentou uma reclamação na Fifa alegando utilização de certidão de nascimento falsa pelo defensor. Byron Castillo teria não apenas modificado a idade como seria colombiano. Os chilenos trazem documentos que mostram seu nascimento no dia 25 de julho de 1995, em Tumaco, na Colômbia. No registro pelo Equador, o zagueiro teria nascido no dia 10 de julho de 1998, em General Villamil Playas. “A Associação Chilena de Futebol apresentou uma queixa ao Comitê Disciplinar da FIFA na qual fez uma série de alegações sobre a possível falsificação de documentos que concedem a nacionalidade equatoriana ao jogador Byron David Castillo Segura, bem como a possível inelegibilidade do referido jogador para participar de oito partidas de qualificação da seleção nacional da Federação Equatoriana de Futebol (FEF) na competição preliminar da Copa do Mundo da Fifa Catar 2022”, afirmou a Fifa, revelando que recebeu a queixa do Chile.

Com o documento em mãos, a entidade revelou que fará uma criteriosa investigação do caso. “Tendo em mente o exposto, a Fifa decidiu abrir um processo disciplinar em relação à possível inelegibilidade de Byron David Castillo Segura em relação às partidas mencionadas. Nesse contexto, a FEF e a Associação Peruana de Futebol foram convidadas a apresentar suas posições ao Comitê Disciplinar da Fifa”, revelou. Já Eduardo Carlezzo, advogado brasileiro responsável por conduzir o caso, celebrou a abertura do processo, dizendo que é um passo grande para um triunfo chileno. “É um momento muito importante para as nossas pretensões. Se a Fifa não abrisse uma investigação, isso praticamente eliminava as nossas chances. Se abriu uma investigação é porque, preliminarmente e sem avançar no mérito, entendeu que existem indícios de uma possível adulteração e agora vai se aprofundar no mérito, ouvindo a posição do jogador e da Federação Equatoriana”, disse o advogado.

*Com informações do Estadão Conteúdo





Fonte: Jovem Pan