Endrick aos 17 bate astros do futebol deste século aos 17 – 08/11/2023 – O Mundo É uma Bola


Endrick, 17, é o nome do momento no futebol nacional.

Na semana que passou, brilhou intensamente pelo Palmeiras, colocando a equipe paulistana na luta pelo título do Campeonato Brasileiro.

Primeiro, contra o líder Botafogo, estando o time alviverde em desvantagem por 3 a 0 na partida no Rio, marcou os dois primeiros gols da reação que culminou na virada por 4 a 3.

Depois, anotou o único gol do jogo em Barueri (Grande São Paulo) que rendeu o triunfo diante do Athletico-PR.

Essas performances, somadas ao futebol de altíssima qualidade (com força, velocidade, habilidade, objetividade e consciência) lhe renderam a primeira convocação para a seleção adulta, para duelos neste mês pelas Eliminatórias da Copa de 2026.

Muita gente deve estar perguntando: mas Endrick, que já está negociado com o gigante espanhol Real Madrid, é mesmo tudo isso?

Atualmente, é.

O canhoto Endrick, nascido em Brasília no dia 21 de julho de 2006, completou 17 anos, três meses e 17 dias de vida nesta terça-feira (7).

Com a mesma idade, astros do futebol deste século não chegaram perto dos 14 gols (em 54 jogos) que o camisa 9 palmeirense acumulou como profissional.

Sua estreia aconteceu no dia 7 de outubro de 2022, há pouco mais de um ano e um mês, na goleada por 4 a 0 contra o Coritiba no Allianz Parque.

Os primeiros gols vieram no dia 26 do mesmo mês, em Curitiba, diante do Athletico –marcou dois.

Com o mesmo tempo de vida que Endrick tem agora, os dois mais laureados futebolistas do século 21, o argentino Messi e o português Cristiano Ronaldo, nem tinham estreado profissionalmente por Barcelona e Sporting, respectivamente.

Neymar, maior nome do Brasil há mais de uma década, acumulava três gols pelo Santos (em 12 partidas), mesmo número do norueguês Haaland, que deve ser o próximo The Best da Fifa, pelo Molde (em 33 partidas).

O incensado Mbappé, campeão mundial com a França em 2018 e vice em 2022, anotara pelo Monaco um único gol (em 13 jogos).

Na média de gols por partida, Endrick (0,26) supera todos os mencionados que tinham atuado profissionalmente até sua atual idade (Neymar, 0,25; Haaland, 0,09; Mbappé, 0,08).

Fica à frente também do compatriota Rodrygo (5 gols em 20 jogos pelo Santos, média de 0,25), que será seu colega de seleção contra Colômbia e Argentina e, posteriormente, no Real Madrid.

Eis a situação de cada um deles com 17 anos, três meses e 17 dias.

  • Endrick: 14 gols em 54 jogos (1 gol a cada 3,85 jogos)
  • Rodrygo: 5 gols em 20 jogos (1 a cada 4)
  • Neymar: 3 gols, em 12 jogos (1 a cada 4)
  • Haaland: 3 gols em 33 jogos (1 a cada 11)
  • Mbappé: 1 gol em 13 jogos (1 a cada 13)

Assim, em se tratando de século 21, Endrick é top de linha e, se continuar no mesmo ritmo, dará muitas alegrias ainda ao Palmeiras e, depois, ao Real Madrid.

Adentrando o século passado, contudo, ele perde, e por margem enorme, quando a comparação é feita, por exemplo, com dois dos mais fantásticos artilheiros que o Brasil já viu: Pelé, o Rei do Futebol, e Ronaldo Fenômeno.

Com a idade que Endrick tem hoje, Pelé, que nos deixou faz quase um ano, tinha atuado pelo Santos 81 vezes e deixado 74 bolas na rede (média de 0,91 gol por jogo).

Ronaldo, pelo Cruzeiro (clube do qual é o dono), foi ainda melhor, considerando a média (0,97): marcou 28 gols em 29 partidas.


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.



Folha de S.Paulo