Em jogo morno, Flu e Palmeiras apenas empatam no Brasileirão

0
17

O gramado ruim do Maracanã foi palco do empate em 1 a 1 entre Fluminense e Palmeiras pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro. Longe de protagonizarem uma partida empolgante, os times abusaram das faltas e dos chutões, não criaram e dependeram dos erros do adversário para movimentar o placar.

Depois de estrear com derrota diante do Grêmio, o Flu perdeu Fred logo na metade do primeiro tempo e teve que mudar sua forma de jogar. Com desfalques depois de se sagrar campeão paulista, o Palmeiras pouco apareceu. Os poucos bons lances saíram em lampejos e jogadas individuais.

O jogo

O primeiro tempo foi de poucas chances e jogo truncado no Maracanã. Ainda de ressaca do título do Paulistão, no último sábado, o Palmeiras foi ao Rio de Janeiro desfalcado de Felipe Melo e Weverton. O time ficou menos com a bola nos minutos iniciais, e se aproveitou de uma falha do Fluminense para sair na frente do placar.

Aos 14 minutos, Fred perdeu para Vitor Hugo e ficou reclamando de falta. Zé Rafael não tomou reconhecimento, ficou com a sobra e enfiou para Luiz Adriano, que bateu o cantinho de Muriel. O Verdão dificultou a subida ao ataque do Flu, e amarrou o jogo com muitas faltas.

As reclamações do camisa 9 do Tricolor resultaram em um cartão amarelo. Aos 30, ele pediu para ser sair levando as mãos à coxa, e Marcos Paulo foi escolhido para substituí-lo. A mudança mudou a forma de jogar do Tricolor. Evanílson virou centroavante, posição que se sente mais confortável, e seis minutos depois, aos 39, não deixou a chance passar em branco. O atacante ganhou de Vinã e bateu do lado esquerdo. A bola desviou em Luan e matou o goleiro Jaílson, que não atuava como titular no Palmeiras desde a Flórida Cup.

O segundo tempo chegou não muito diferente, e as poucas chances de ambos os lados apareceram de erros do adversário. Foram poucos lances individuais e de criatividade, assim como na primeira etapa. Aos 4 minutos, Gabriel Menino se aproveitou de uma desatenção de Nenê e deixou para Raphael Veiga, que foi travado na hora do chute. Aos 10, foi a vez de Marcos Paulo finalizar por cima do gol de Jailson.

Declaradamente adepto das cinco substituições, Luxemburgo usou as alterações para tentar empurrar o time rumo a vitória. Gabriel Menino deu lugar a Patrick de Paula, Raphael Veiga a Lucas Lima e Rony deixou o time para Willian entrar.

O Fluminense recuou demais, mas nem o espaço fez com que o Palmeiras oferecesse mais perigo a Muriel. As melhores chegadas foram com Viña. Aos 21, Zé Rafael abriu na esquerda para o uruguaio, mas Egídio cortou antes que o ataque finalizasse. O mesmo Egídio participou da primeira finalização do Flu na segunda etapa. Na primeira participação de Ganso, ELe tabelou com o meia, que cruzou na direção de Evanílson. Jaílson saiu do gol no momento exato para ficar bom a bola.

Aos 39, o Palmeiras assustou Muriel em uma chegada de Luiz Adriano. Lucas Lima recebeu e na entrada da área, deixou o atacante em boa posição para finalizar. A bola sai pela esquerda do gol do Flu. A última chance da partida foi com Luiz Henrique, que recebeu de Wellington Silva e bateu de primeira, mas isolou.

O próximo compromisso do alviverde é contra o Goiás, no próximo sábado, às 21h30. Já o Fluminense recebe o Internacional também no Maracanã, no domingo, às 18h.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 1 x 1 PALMEIRAS

FLUMINENSE – Muriel; Igor Julião, Nino, Luccas Claro e Egídio; Dodi, Yago (Ganso) e Michel Araújo; Nenê (Luiz Henrique), Evanilson (Wellington Silva) e Fred (Marcos Paulo). Técnico: Odair Hellmann.

PALMEIRAS – Jailson; Marcos Rocha, Vitor Hugo, Luan e Viña; Bruno Henrique (Ramires), Gabriel Menino (Patrick de Paula) e Raphael Veiga (Lucas Lima); Rony (Willian), Zé Rafael (Gustavo Scarpa) e Luiz Adriano. Técnico: Vanderlei Luxemburgo.

GOLS – Luiz Adriano, aos 14, e Evanilson, aos 38 minutos do primeiro tempo.

CARTÕES AMARELOS – Fred, Rony, Luan, Evanilson, Wellington Silva, Gustavo Scarpa.

ÁRBITRO – Rafael Traci.

RENDA E PÚBLICO – Jogo sem torcida.

LOCAL – Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro (RJ).


Fonte: Jovem Pan

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui