Conmebol apoia Cavani e critica punição por racismo: ‘Foi uma peculiaridade cultural’

0
21


O episódio aconteceu no dia 29 de novembro de 2020, quando o atacante do Manchester United respondeu um seguidor com a mensagem ‘graças negrito’ após a vitória sobre o Southampton

Reprodução/Twitter/@EdiCavaniEdinson Cavani é atacante do Manchester United

A Confederação Sul-Americana de Futebol (Conmebol) emitiu um comunicado nesta terça-feira, 5, para expressar sua solidariedade com o uruguaio Edinson Cavani, do Manchester United, que foi punido pela Federação Inglesa de Futebol (FA) com três jogos de suspensão por ter feito um comentário considerado de cunho racista. Em nota, a entidade máxima do futebol sul-americano declarou que o termo “negrito”, utilizado pelo atacante, não foi preconceituoso e citou “peculiaridades culturais” para defender o badalado centroavante.

“A CONMEBOL expressa sua solidariedade ao jogador Edinson Cavani, sancionado pela Federação Inglesa de Futebol. A medida disciplinar para o jogador destacado da seleção uruguaia claramente não leva em consideração as características culturais e o uso de certos termos na fala cotidiana do Uruguai. O julgamento desses tipos de declarações, no âmbito de um processo que pode acarretar em penalidades para o atleta e que afetam sua reputação e bom nome, deve ser sempre realizado levando em consideração o contexto em que foram feitas e, sobretudo, as peculiaridades culturais de cada jogador e de cada país. A CONMEBOL condena e sempre condenará com a maior energia qualquer manifestação racista ou discriminatória, mas o caso específico para o qual Cavani foi sancionado não constitui uma delas”, disse a Conmebol.

O episódio aconteceu no dia 29 de novembro de 2020, depois que o Manchester United venceu o Southampton em partida válida pelo Campeonato Inglês. Na ocasião, Cavani respondeu um seguidor com a mensagem “graças negrito”, que significa “obrigado negrinho” em português. Instantes depois, Cavani deletou a mensagem e publicou uma mensagem pedindo desculpas e dizendo que se opõe “totalmente ao racismo”. O clube do uruguaio, por sua vez, disse que não irá recorrer à punição por “respeito e solidariedade” à luta contra o racismo. O United, por sua vez, disse ainda que Cavani “acreditava honestamente que estava, simplesmente, enviando um agradecimento afetuoso” e que entende que a suspensão faz parte do estabelecimento de um padrão de comportamento do futebol inglês.





Fonte: Jovem Pan

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui