Como chegam Corinthians e Flamengo para a final da Copa do Brasil | Placar



Muita coisa mudou desde o último encontro entre Corinthians e Flamengo, que culminou na classificação rubro-negra para a semifinal da Libertadores. Agora o momento é outro e a competição também: o Timão cresceu na temporada e o Rubro-Negro conseguiu se manter em alto nível. Na próxima quarta-feira, às 21h45, na Neo Química Arena, as duas equipes dão o pontapé inicial para decidir o título da Copa do Brasil de 2022.

Assine #PLACAR por apenas R$ 9,90/mês. Não perca!

A evolução do Corinthians ao longo da temporada é cristalina. Se antes a equipe era repleta de medalhões, hoje quem dá as caras em Itaquera e chama a responsabilidade são os mais novos. É verdade, a equipe de Vítor Pereira ainda conta com peças de experiência, como Cássio, Renato Augusto e Gil, mas o time que termina a temporada tem uma cara bem diferente do que começou.

No último encontro contra o Flamengo, a dupla Fausto Vera e Yuri Alberto acabara de chegar em Itaquera. O meia Renato Augusto estava machucado (só jogou a volta e não estava 100%), o volante Maycon se machucou na ida e perdeu o duelo no Maracanã, e o Corinthians ainda contava com Willian no elenco (que também se machucou e participou de somente uma parte do confronto).

“Fiz o que era possível de gestão e acredito que a equipe vai estar no seu melhor nível, com possibilidade de título. Temos que ter muita fome, não vamos almoçar para chegar com muita fome”, disse Vítor Pereira às vésperas da decisão.

Eis a palavra mágica: gestão. O tal rodízio do treinador lusitano serviu para recuperar Renato Augusto e Maycon. Ao mesmo tempo, repetir a escalação ‘titular’ fez o argentino Vera ganhar ritmo e se tornar incontestável no meio-campo, Du Queiroz virar protagonista e a dupla Róger Guedes e Yuri Alberto se entender como nunca.

“Temos que fazer um jogo no melhor nível em casa. Contra um time com argumentos. Jogar em Itaquera e diante da nossa torcida não é fácil. Orçamento, elenco… Provavelmente eles terão algum favoritismo, mas final é final e tudo pode acontecer”, cravou o técnico alvinegro. O goleiro Cássio, com um trauma no pé direito, foi preservado do último jogo, mas deve estar em campo na quarta-feira.

Continua após a publicidade

Favoritismo rubro-negro

Por ter o elenco mais badalado do país e com experiência em grandes decisões, o Flamengo desfruta de favoritismo prévio, mas sabe que isso não ganha jogo. “Acho que é um novo momento e uma nova situação”, disse Dorival Júnior logo após a vitória rubro-negra contra o Cuiabá, mas já pensando em quarta-feira.

O Flamengo não mudou tanto assim, pelo menos a equipe é a mesma (do goleiro Santos aos atacantes Pedro e Gabigol). O que talvez tenha passado seja a empolgação com o trabalho do técnico Dorival, que oscilou desde então.

Justiça seja feita, o treinador brasileiro conseguiu ‘arrumar’ a equipe rubro-negra muito rápido, chegou na final da Copa Libertadores e Copa do Brasil com um futebol convincente – talvez o mais próximo de Jorge Jesus desde sua saída. Mas depois oscilou: empatou com Palmeiras, Ceará, Goiás e Internacional, perdeu do rival Fluminense e do Fortaleza. Resultados que tiraram o Flamengo da corrida pelo título do Brasileiro (está em quarto, com 52 pontos, justamente atrás do Corinthians, com 54).

“A equipe volta a vencer num momento importante, alguns jogadores buscando crescimento… Essa preparação não acontece de terça para quarta-feira. Ela vem sendo feita gradativamente com todos participando” completou Dorival Júnior.

Corinthians e Flamengo chegam para a final em boa fase, com uma sequência positiva de resultados, e com jogadores recuperados e ‘inteiros’ para fazerem a diferença dentro de campo. A equipe paulista diminuiu a distância em relação ao futebol do rival carioca e a final parece mais aberta do que nunca. Quem vai largar na frente?

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN!

Continua após a publicidade





Placar – Abril