Com Mbappé bem marcado, velha guarda impulsiona França

Por Julien Pretot

DOHA (Reuters) – Enquanto Kylian Mbappé estava sendo contido pela defesa da Inglaterra, foi a velha guarda da França que levou os atuais campeões às semifinais da Copa do Mundo em uma vitória por 2 x 1 no sábado.

O goleiro Hugo Lloris, o meio-campista Antoine Griezmann e o atacante Olivier Giroud contribuíram para a classificação em uma partida emocionante diante de um adversário que teve bom desempenho.

Lloris, identificado como elo fraco pela mídia britânica, fez boas defesas para impedir gols de seu companheiro de Tottenham Hotspur, Harry Kane, e de Jude Bellingham.

Aos 35 anos, Lloris comemorou a 143ª partida pela seleção e, assim como em 2018, mostrou que é confiável nos grandes momentos.

Contra um dos melhores meio-campos do torneio, a França precisou de Griezmann para encontrar o equilíbrio certo entre defesa e ataque, e o jogador do Atlético de Madri se destacou.

Sua movimentação quebrou as transições rápidas da Inglaterra no primeiro tempo e sua calma sob pressão deu aos Les Bleus o tão necessário espaço para respirar às vezes.

Griezmann coroou seu desempenho com duas assistências, a primeira para o chute de Aurelien Tchouameni no primeiro tempo e a segunda para o gol de Giroud aos 33 minutos da segunda etapa.

Griezmann já deu assistência para 28 gols da França, mais do que qualquer outro jogador.

Giroud, que deve seu lugar no time titular ao fato de Karim Benzema ter sido cortado por lesão antes do torneio, aproveitou sua chance, marcando quatro gols no Catar depois de falhar na Rússia há quatro anos e ser rebaixado para o banco no Campeonato Europeu.

Mbappé havia roubado os holofotes dele na vitória da França por 3 x 1 sobre a Polônia, marcando dois gols, mas no sábado o jogador de 23 anos ficou em segundo plano.

Foi, possivelmente, a maior lição da vitória da França. Eles podem vencer quando Mbappé não brilha ou marca, e sua reação ao celebrar enfaticamente o gol de Giroud provou o argumento de Deschamps quando ele disse que não precisava controlar o ego do atacante do Paris Saint-Germain.

A França enfrentará o Marrocos na semifinal em busca de se tornar o primeiro time a manter o título da Copa do Mundo desde o Brasil em 1962.

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEIBA071-BASEIMAGE







Fonte: Mix Vale