Brasileiros reforçam necessidade de cuidados após casos de Covid na Vila em Tóquio – 18/07/2021 – Esporte

0
18


A confirmação de dois casos de Covid-19 entre atletas na Vila Olímpica de Tóquio, neste domingo (18), antecedeu em poucos minutos uma bateria de entrevistas com atletas brasileiros na zona internacional da residência, onde são permitidas interações entre imprensa e participantes desde que cumpridas normas de distanciamento.

Os brasileiros foram surpreendidos com a notícia dos primeiros casos entre atletas no local, dada a eles pelos jornalistas.

“Quem é? Não estou sabendo não”, afirmou o ginasta Arthur Zanetti, em sua terceira Olimpíada, após participar e ganhar medalha em Londres-2012 (ouro) e no Rio-2016 (prata).

Os nomes e países aos quais pertencem os atletas não foram revelados pelo comitê organizador da Tóquio-2020.

“É complicado. A gente está tomando muito cuidado, porque sabe que com um teste positivo já eram as Olimpíadas. A gente ralou bastante, teve um ano de adiamento, então é se cuidar ao máximo, ficar de máscara, não sair do quarto. Todo esse sofrimento que a gente passou de treino, pandemia, e acaba [em caso de diagnóstico positivo]. Então é se cuidar. Vamos dar auxílio aos mais novos, porque é uma tentação a Vila Olímpica, mas vai ser uma Olimpíada mais calma”, completou o ginasta.

A classificação masculina acontecerá no sábado (24), primeiro dia completo de competições dos Jogos.

“Está tendo um cuidado que eu mesma não esperava. Estou me sentindo muito segura, que é a parte mais importante de tudo”, afirmou a ginasta Flavia Saraiva. Ela e Rebeca Andrade competirão na etapa classificatória no domingo (25).

Felipe Wu, primeiro medalhista brasileiro na Rio-2016, terá novamente essa chance em Tóquio na disputa da pistola de ar de 10 metros do tiro esportivo, marcada para o sábado. Ele lamentou a ocorrência de casos e reforçou a necessidade de tomar cuidados.

“A gente já esperava por isso. São tantas pessoas, depende mais do cuidado individual. Vamos viver isso durante os Jogos, infelizmente, mas a gente do Time Brasil está tendo um cuidado bastante grande e cada um fazendo sua parte para que, caso tenha contaminação, não se espalhe. Seria horrível a gente não poder fazer aquilo para o que nos preparamos tanto”, disse.

“Ficou bem claro que a gente não está vindo para Tóquio, mas para os Jogos Olímpicos.”

A previsão é que a Vila receba 11 mil atletas de 200 países e mais 7.000 pessoas entre demais membros das delegações.

Neste sábado (17), a residência olímpica tinha contabilizado o primeiro caso internamente, mas em uma pessoa ligada aos Jogos, não atleta.

Segundo dados oficiais do evento, já são 55 pessoas diagnosticadas com Covid-19 vinculadas à Olimpíada desde o dia 1º de julho.

Além da Vila, os competidores estão se hospedando em hotéis e em bases de aclimatação organizadas por suas respectivas delegações.

Estar vacinado não é uma exigência para participar dos Jogos. Na delegação brasileira, cerca de 75% completaram a imunização e 90% tomaram pelo menos a primeira dose antes do embarque para o Japão.



Fonte: Máquina do Esporte