Brasil brilha, mas TV aberta esnoba Libertadores feminina – 17/10/2023 – O Mundo É uma Bola


Apesar de ter decepcionado na Copa do Mundo deste ano, o futebol feminino brasileiro mostra estar fortíssimo quando o enfoque são os clubes e o nível é continental.

Todos os representantes do país na LibertadoresCorinthians, Internacional e Palmeiras– estão nas semifinais da competição, disputada desde o dia 5 na Colômbia.

Dos 16 clubes que, divididos em quatro grupos, iniciaram a Libertadores, sobreviveu, além dos brasileiros, o Atlético Nacional, adversário do Palmeiras nesta terça (17), em Bogotá, às 21h30 (de Brasília).

No mesmo horário, nesta quarta (18), Corinthians e Internacional duelam pela outra vaga na final, em Cali.

As campanhas dos brasileiros são exemplares, pois perfeitas e empolgantes.

Corinthians, Palmeiras e Internacional disputaram quatro partidas cada um (três na fase de grupos, a outra nas quartas de final) e ganharam todas elas.

Até agora, entretanto, nenhum interessado pôde ver um jogo que seja da Libertadores na TV aberta. E isso deverá se manter, muito provavelmente, até o encerramento, mesmo que a decisão seja entre brasileiros, mesmo que seja um Corinthians x Palmeiras.

Globo e Band têm os direitos de transmissão do torneio, que está neste ano em sua 15ª edição –equipes brasileiras triunfaram 11 vezes. Ambas exibem as partidas somente em seus canais por assinatura, SporTV e BandSports, respectivamente.

Nesta terça, dia da semifinal do Palmeiras, a grade de programação da Globo prevê para o horário Uruguai x Brasil, pelas Eliminatórias da Copa do Mundo, a masculina, de 2026.

Na quarta, nada de Corinthians x Inter na tela do “plim plim”, e sim futebol masculino (Campeonato Brasileiro). Os jogos das 21h30 são Goiás x São Paulo, Vasco x Fortaleza e Bahia x Inter. O mais bem colocado entre eles na tabela ocupa a sexta posição, a 13 pontos da liderança.

Na grade da Band, em ambos os dias, entretenimento com o Melhor da Noite (20h30), seguido pelo humorístico Perrengue do Dia (22h).

A final da Libertadores é no sábado (21), em Cali, no horário nobre da TV brasileira (20h30 de Brasília).

Li textos na mídia (inclusive nesta Folha) que afirmavam que, se houvesse clube brasileiro na decisão, a Globo poderia mostrar a partida.

Na faixa em que exibe o Jornal Nacional e a novela “Terra e Paixão”? Não, não vai. Será SporTV mesmo.

Na Band, a programação no momento em que escrevo prevê Jornal da Band (19h20) e Fórmula 1 2023 (22h). Enigmático, já que não há atividade prevista para esse horário em Austin (EUA), local da etapa de um campeonato já decidido –a corrida é no domingo.

Nada de futebol, nada de Libertadores feminina. Será BandSports mesmo.

Os interesses comerciais predominam, há contratos fechados com patrocinadores, e jamais pensei que algo poderia ser mudado na TV aberta, o que não impede que se exponha a lamentação.

Pois todos os participantes brasileiros têm dado show na Libertadores feminina, e a exibição em TV aberta daria a mais gente chance de acompanhar as jogadoras, individual e coletivamente.

O Palmeiras, atual campeão, soma 21 gols a favor (5 de Bia Zaneratto, 4 de Amanda Gutierres) e só 3 contra.

O Inter, vice-campeão brasileiro, marcou 16 gols, levou apenas 4, e as Gurias Coloradas têm a artilheira do campeonato (Priscila, com seis gols).

O Corinthians, campeão brasileiro, fez também 16 gols (5 de Milene), e a goleira Lelê, titular da seleção brasileira, tomou… nenhum.

O time alviverde tenta, em sua segunda participação, seu segundo troféu. O colorado é estreante na competição, e o alvinegro, que a venceu três vezes (2017, 2019 e 2021), busca se isolar como o maior campeão –está empatado com o São José, do interior paulista.


LINK PRESENTE: Gostou deste texto? Assinante pode liberar cinco acessos gratuitos de qualquer link por dia. Basta clicar no F azul abaixo.



Folha de S.Paulo