Assessoria de Neymar diz que craque não foi procurado pela diretoria do PSG para discutir saída

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp

Em contato com a reportagem do Grupo Jovem Pan, a equipe de comunicação do camisa 10 da seleção brasileira e do Paris Saint-Germain classificou a reportagem da mídia espanhola como uma ‘besteira’

Julien de Rosa/EFEO jogador Neymar
Neymar durante partida do PSG na Liga dos Campeões

O jornal “El País”, da Espanha, publicou na última terça-feira, 28, que a diretoria do Paris Saint-Germain conversou com o pai de Neymar e comunicou o agente que o camisa 10 não está nos planos do clube para a temporada 2022/2023. De acordo com a matéria, a opinião de Kylian Mbappé, que renovou recentemente e se tornou a principal estrela do projeto parisiense, também teria pesado na decisão. Em contato com a reportagem do Grupo Jovem Pan, no entanto, a assessoria do craque classificou a reportagem da mídia espanhola como uma “besteira” e negou qualquer tipo de conversa sobre este tema. “É só assunto para arrumar o que falar”, resumiu. Procurada, a equipe de comunicação do PSG ainda não se pronunciou sobre os rumores.

As especulações fizeram com que o nome de Neymar entrasse nos assuntos mais comentados do Twitter e virasse pauta até entre os jogadores. Nesta quarta-feira, 29, em evento realizado em Recife, o zagueiro Thiago Silva pediu a companhia do amigo de seleção brasileira no Chelsea. “Ele (Neymar) tem que ir pro Chelsea (risos). Se tiver que sair, tem que ir para lá. A expectativa, se vier a acontecer, é a melhor possível. Neymar dispensa comentários pela qualidade. E além disso, é um super amigo. Espero que se concretize e não fique só nas notícias. Mas eu não sei de nada”, despistou o defensor, em conversa para vários veículos de comunicação.

De férias no Brasil, Neymar participou de um evento no Rio de Janeiro na noite de ontem e deve se reapresentar no Paris Saint-Germain na próxima semana. No PSG, o brasileiro se tornou o jogador mais caro da história do futebol ao sair do Barcelona pela quantia de 222 milhões de euros, em 2017. Durante cinco anos, o presidente do PSG, Nasser Al-Khelaifi defendeu que a maneira mais rápida de ser competitivo era construir um ambiente em que o jogador se sentisse feliz. Na última vez em que foi questionado sobre o tema, no entanto, o mandatário se esquivou. “Não podemos falar desses temas na imprensa. Uns virão, outros irão, mas são negociações privadas”, disse em 21 de junho, em conversa com o jornal “Marca”, da Espanha.



Fonte: Jovem Pan