Após 25 anos, Casagrande deixa a Globo: ‘Alívio para os dois lados’ | Placar

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


O ex-jogador Walter Casagrande, 59 anos, anunciou nesta quarta-feira, 6, o seu desligamento da TV Globo, onde trabalhava como comentarista esportivo desde 1997. A informação foi noticiada por ele em um breve pronunciamento nas redes sociais. Em sua fala, Casagrande cita “alivio para os dois lados” no rompimento com a emissora com quem tinha contrato até dezembro deste ano.

Assine #PLACAR digital no app por apenas R$ 6,90/mês. Não perca!

“Depois de 25 anos de Globo, seis Copas do Mundo, cinco finais, incluindo a de 2002, com os dois gols do Ronaldo, três Olimpíadas e diversas finais de campeonatos por aí, meu ciclo acabou. Estou saindo da Globo hoje, não faço mais parte do grupo de Esportes da TV. Vou seguir a minha estrada. Na realidade, acho que foi um alívio para os dois lados”, afirmou no vídeo.

Na publicação, nomes como o comentarista Mauro Beting, além dos narradores Odinei Ribeiro e Galvão Bueno escreveram mensagens de despedida. “Foi muito bom trabalhar 25 anos com você ! Segue firme, amigo!”, disse Galvão.

Em nota divulgada no site ge, a emissora explicou que o desligamento foi feito em “comum acordo”: “Como jogador, Walter Casagrande Júnior escreveu uma história importante dentro de campo: ídolo do Corinthians, onde foi protagonista da Democracia Corintiana, teve passagem pelo futebol europeu e também defendeu a seleção brasileira na Copa do Mundo de 1986. Fora dos gramados, a trajetória foi também de sucesso. Há 25 anos ele exerce a função de comentarista, 24 deles na Globo. Um período marcado por grandes momentos, conquistas, emoções, superação e pela autenticidade, uma de suas marcas registradas. Em comum acordo, a parceria entre Globo e Casagrande chega ao fim, mas suas análises estarão para sempre marcadas no almanaque das transmissões de futebol da televisão brasileira”.

Nos últimos anos, Casão ficou marcado por críticas abertas ao presidente Jair Bolsonaro (PL). Em junho, durante participação no programa Encontro com Fátima Bernardes, da Globo, ele chamou o atual governo de “covarde, perverso e muito cruel” enquanto falava de seu documentário, intitulado “Casão – Num jogo sem regras”.

Em novembro de 2021, ele associou a invasão de torcedores do Grêmio e recentes episódios de violência no esporte pela escolha de Bolsonaro como presidente alegando que o político “espalha ódio”. Ele também não tem poupado críticas à seleção brasileira dirigida por Tite, minimizando os recentes resultados conquistados pelo país.

Continua após a publicidade

Casagrande recentemente lançou um livro sobre sua amizade com Sócrates – Heitor Feitosa/VEJA.com

Ao final da decisão da última Copa do Mundo, realizada na Rússia, o comentarista comoveu a equipe de cobertura ao revelar que a competição foi a mais importante de sua vida por causa de uma vitória pessoal. “Tive uma proposta, quando eu saí do Brasil, que era chegar pela primeira vez em uma Copa do Mundo sóbrio, permanecer sóbrio e voltar para casa sóbrio”, contou, com a voz embargada.

Casagrande é dependente de álcool e drogas e fala abertamente sobre sua luta contra o vício em entrevistas. Em seu livro, ele conta que começou a usar as substâncias quando adolescente, e não parou quando se tornou um jogador profissional durante a década de 1980.

No atual ciclo para a Copa, o ex-jogador e Neymar da Silva, o pai e agente de Neymar, trocaram farpas por contas de críticas direcionadas ao camisa 10 do Paris Saint-Germain e da seleção brasileira.

Pai de Neymar e Casagrande durante entrevista -
Pai de Neymar e Casagrande durante entrevista – SporTV/Reprodução

A animosidade começou em fevereiro de 2018, quando Casagrande chamou o atacante da seleção brasileira de mimado e o acusou de colocar sua equipe em risco por causa de suas atitudes.

“Estamos criando um monstro, ao invés de corrigi-lo para ele virar gênio”, disse, na época. O pai do craque rebateu via redes sociais. Não citou o nome de Casagrande, mas falou de um ex-jogador “abutre” e “oportunista”.

Um ano depois. Neymar pai considerou os comentários de Casagrande “muito pessoais” e “impertinentes”, mas no fim a dupla encerrou a polêmica de forma cordial.

Ainda não assina Star+?! Clique aqui para se inscrever e ter acesso a jogos ao vivo, séries originais e programas exclusivos da ESPN

Continua após a publicidade





Placar – Abril