A condenação do governo a dirigente que beijou atleta – 22/08/2023 – Esporte


“O que vimos foi um gesto inaceitável”, disse o presidente interino da Espanha, Pedro Sánchez, nesta terça-feira (22/08).

O fato de o chefe do governo do país se manifestar é um sinal da magnitude que atingiu a polêmica em torno do presidente da Federação Espanhola de Futebol (RFEF), Luis Rubiales.

No último domingo, Rubiales beijou na boca a jogadora Jenni Hermoso durante a comemoração da Copa do Mundo que a seleção feminina espanhola acabava de conquistar em Sydney, na Austrália.

Milhões de telespectadores assistiram ao beijo ao vivo pela televisão, que foi interpretado por muitos como um comportamento impróprio do maior representante do futebol espanhol.

Rubiales primeiro tentou minimizar sua ação em um post de rede social atacando seus críticos, mas a controvérsia cresceu ainda mais e ele finalmente publicou um vídeo se desculpando.

“Certamente, me enganei”, disse o presidente da RFEF, que afirmou ter se “deixado levar pela efusividade do momento”. Ele também disse que “não houve má-fé de nenhuma das partes”.

Pedro Sánchez assegurou que as desculpas “não são suficientes” nem são “adequadas” e exortou o presidente da federação a dar “mais passos para esclarecer o que vimos”, o que foi interpretado como um pedido para que Rubiales apresente a sua demissão.

O governo não tem poder para demiti-lo, pois não controla a entidade e somente os membros deste órgão poderiam tomar tal decisão.

Além do presidente, inúmeras personalidades da política e da sociedade espanhola criticaram duramente o comportamento de Rubiales nos últimos dias, chegando a qualificar o ato como violência sexual, e pediram sua renúncia.

Jenni Hermoso, por sua vez, falou duas vezes sobre o polêmico beijo. “Não gostei”, comentou, rindo, em uma primeira reação informal no vestiário durante a comemoração do título.

Comportamento criticado

Mais tarde, a jogadora afirmou em comunicado que se tratou de “um gesto mútuo totalmente espontâneo pela imensa alegria de ganhar um Mundial” e pediu “para não dar mais voltas” ao que considerou uma expressão de “amizade e gratidão”.

Além do gesto no pódio, Rubiales também foi alvo de críticas por ter sido filmado agarrando a própria virilha no momento em que a partida terminou, o que foi interpretado como um gesto obsceno e totalmente fora de propósito.

A polêmica em torno da atuação de Rubiales ganhou grande destaque na mídia e nas redes sociais ao redor do mundo, e muitos criticam que tenha roubado em parte os holofotes da notícia mais importante: o título inédito da seleção espanhola na Copa do Mundo de futebol feminino.



Folha de S.Paulo