80 anos de proibição e perda de arrecadação com ilegalidade

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Governo Federal brasileiro deixa de arrecadar bilhões de reais anualmente com a falta de regulamentações para os jogos de azar, como apostas esportivas, cassinos e jogo do bicho

Os portais de jogo do bicho estão a todo vapor, mesmo com a modalidade sendo ilegal no Brasil. Com 129 anos de atuação, o jogo do bicho é popular no país, atraindo diversos apostadores diariamente.

Com o passar dos anos e o avanço da tecnologia, a prática aumentou ainda mais, já que palpites sobre jogo do bicho hoje em dia são facilmente encontrados online, o que gera ainda mais expansão da modalidade que é tão tradicional.

Porém, muitos se perguntam como um jogo centenário, que é proibido há anos, segue a todo vapor no país, e também questionam os motivos de não haver a legalidade do mesmo. Para isso, temos que voltar em 1892, ano da fundação do jogo do bicho.

Tudo ocorreu em um zoológico da Vila Isabel, quando o Barão João Batista de Drummond, que administrava o local, resolveu adicionar um atrativo para os visitantes, buscando gerar receita. Portanto, ele criou um sorteio de acordo com os ingressos, que levavam um bicho.

Desde então, a prática foi se remodelando e se espalhando para todo o Brasil, sendo um sucesso. Porém, no dia de outubro de 1941, o mesmo passou e ser ilegal, com o artigo 58 do decreto de lei nº 3.688.

“Explorar ou realizar a loteria denominada jogo do bicho, ou praticar qualquer ato relativo à sua realização ou exploração: Pena – prisão simples, de quatro meses a um ano, e multa, de dois a vinte contos de réis”, diz a lei.

Portanto, deste então, o jogo do bicho segue como prática ilegal no Brasil. Porém, isso não acabou com a modalidade, muito pelo contrário, já que o número de pessoas que praticam o mesmo só aumenta. Dessa forma, se discute a legalização dos jogos de azar no país, já que a ilegalidade não faz com que parem de jogar, porém, se o mesmo for legal, o Governo Federal pode ter diversas arrecadações.

Como os jogos de azar podem ajudar o país?

A Fundação Getúlio Vargas realizou um estudo sobre os jogos de azar em 2014. Na época, foi estimado que o país poderia ter uma arrecadação de R$ 1,3 bilhão a R$ 2,8 bilhões com a legalização, e a tendência é que hoje esses números sejam ainda maiores. Segundo o senador Angelo Coronel (PSD-BA), que trabalha para a legalização, a estimativa de arrecadação atual é de R$50 bilhões ao ano.

Esse valor corresponde a taxas e impostos que o Brasil teria, resultando em verbas para o Governo Federal. Dessa forma, o mesmo reverteria os valores para instituições, esporte, cultura e educação, no mesmo sistema que ocorre com as loterias federais.

Outro ponto é que, ainda segundo o estudo, contabilizando apenas o Rio de Janeiro, seriam mais de 50 mil pessoas empregadas com o jogo do bicho, portanto, geraria receita e emprego para todo o país.

Portanto, o Brasil movimenta bilhões com os jogos de azar todos os anos, e mesmo que a prática seja ilegal, as apostas seguem diariamente. Com tudo isso, a legalização vem sendo fortemente debatida entre os parlamentares, deixando no ar que a legalização está cada vez mais próxima.

E como é o funcionamento do jogo do bicho sem legalização?

Curiosamente, o jogo do bicho funciona de acordo com o sorteio da loteria federal, obviamente, sem o consenso da mesma. Com os sorteios realizados diariamente, cada número corresponde a um bicho.

Portanto, é possível fazer diversos tipos de apostas, seja para acertar o bicho entre os 5 primeiros, na “cabeça”, fazer duplas, triplas, e até mesmo apostando pelo número, acertando os três últimos ou ele por completo.

Quanto maior for a dificuldade, maior será o prêmio, que também varia com o valor apostado. Dessa forma, o jogo do bicho segue com sorteios diários, inclusive, mais de um por dia, mas vale sempre ressaltar que a Caixa Econômica Federal não tem nenhuma ligação com a modalidade, e os organizadores usufruem da mesma de forma ilegal.










Fonte: Mix Vale