Sindicato de trabalhadores de Hollywood autoriza greve se negociação com produtores fracassar

0
11


Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) – Membros de um sindicato que representa operadores de câmera, maquiadores e outros trabalhadores que atuam por trás das câmeras em filmes e programas de televisão de Hollywood votaram majoritariamente pela autorização de uma greve caso não cheguem a um acordo com os produtores para um novo contrato, anunciou o sindicato nesta segunda-feira. 

A Aliança Internacional de Empregados de Palcos Teatrais (IATSE, na sigla em inglês), que representa cerca de 60 mil trabalhadores, incluindo também editores de som e cabeleireiros, afirmou em um comunicado que 90% de seus membros votaram e que mais de 98% dos votos eram a favor da autorização de uma greve. 

A votação não significa que haverá paralisação, mas fortalece o lado dos líderes da IATSE nas negociações com a Aliança de Produtores de Cinema e Televisão (AMPTP, na sigla em inglês). 

“Eu espero que os estúdios vejam e entendam a determinação dos nossos membros”, afirmou o presidente da IATSE, Matthew Loeb, em nota. “Se eles querem evitar uma greve, eles irão voltar à mesa de negociação e farão uma proposta razoável”. 

“Nossos membros têm necessidades humanas básicas como: tempo para intervalos para alimentação, sono adequado, e final de semana”, acrescentou Loeb. 

O sindicato busca reduzir as horas de trabalho, que podem chegar a até 14 horas por dia, enquanto a demanda por programas de televisão e filmes cresceu, principalmente para plataformas de streaming como a Netflix, Disney+, Apple TV+ e Amazon Prime Video. 

O grupo também quer aumentos salariais para trabalhadores envolvidos em projetos para o streaming, que possuem remunerações menores do que em trabalhos para programas de TV, por conta de um acordo firmado em 2009, quando o streaming e as mídias online estavam ainda no início. 

(Reportagem de Jill Serjeant)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH93188-BASEIMAGE










Fonte: Mix Vale