Racismo: Camila Cabello é criticada após dançarino fazer blackface em performance

0
31


Dançarino aparece ao lado da cantora com rosto e o corpo pintado; artista rebate e diz que a proposta era mostrar um personagem com um ‘terrível bronzeamento artificial laranja’

Reprodução/FacebookCamila Cabello se pronunciou nas redes sociais afirmando que a proposta era mostrar um homem com bronzeamento artificial

A cantora Camila Cabello voltou a ser criticada nas redes sociais neste sábado, 24, sendo acusada de ser racista. O motivo é que o dançarino Dylan Pearce, que participou ao lado da artista da performance do single “Don’t Go Yet”, no talk show de Jimmy Fallon, apareceu na apresentação fazendo blackface, ou seja, com o rosto e o corpo pintado para escurecer a pele. O assunto chegou a ficar entre os temas mais comentados do Twitter e levou a centenas de críticas à artista. “O dançarino fez sim blackface e isso é tão culpa da equipe quanto dela e eu jamais vou passar pano pra uma situação como essa”, disse uma seguidora. “Camila Cabello propagando blackface em 2021 e vocês jurando que essa garota tinha se educado depois de ter sido exposta naquela época”, escreveu outra, em referência ao episódio de 2019 em que postagens antigas com comentários racistas da artista repercutiram nas redes sociais. Na época, a cantora disse se arrepender, pediu desculpas e afirmou que tinha feito aulas sobre educação e equidade racial. “Cresci, sou adulta, cresci, aprendi e sou consciente da história e da dor que isso carrega de uma maneira que eu não era antes. Esses erros não representam a pessoa que sou”, disse na ocasião.

Com a repercussão negativa após a apresentação deste sábado, a cantora voltou a se pronunciar nas redes sociais afirmando que a pintura no corpo e no rosto do dançarino se tratava de “um homem branco com um terrível bronzeamento artificial laranja”, o que, segundo ela, parecia um “personagem dos anos 1980”. “Tentamos reunir um grupo multicultural de performers, a expectativa não era que todos na performance precisassem ser latinos. Então, a questão não era tentar fazer com que todos parecessem latinos também”, afirmou na publicação.





Fonte: Jovem Pan