Pamella Holanda diz que agressões de DJ Ivis começaram enquanto estava grávida: ‘Não havia arrependimento’

0
37


Em uma das ocasiões, a ex-mulher foi agredida por contrair o artista, que não permitia que a arquiteta amamentasse a filha enquanto estava com Covid-19

Reprodução/Instagram/PamellaHolandaAs agressões do DJ Ivis começaram enquanto Pamella Hollada estava grávida da primeira filha do casal

Pamella Gomes de Holanda, ex-mulher de Iverson de Souza Araújo, o DJ Ivis, participou nesta terça-feira, 13, do “Encontro com Fátima Bernardes”, da Rede Globo, para falar sobre as agressões que sofria do artista. Ao ser perguntada sobre o que sentia ao ver os vídeos em que é agredida pelo DJ com tapas, socos e chutes, a arquiteta afirmou: “Parece que não é a minha vida”. As agressões, segundo Pamella, começaram enquanto ela ainda estava grávida e não pararam após o nascimento de Mel. A ex-mulher conta que as câmeras de segurança não foram instaladas para registrar as agressões de Iverson, mas para que o casal pudesse monitorar a bebê récem-nascida enquanto Pâmella estava internada depois de complicações pós-parto. Mas a gravações, no entanto, ajudaram Pamella a ter provas contra o ex-marido. “Eu tinha medo que fosse desacreditada pelo fato dele ser uma pessoa conhecida e ter influência. Vivemos em um país machista, onde a mulher quase nunca tem voz. Eu pensei: ‘Eu tenho que provar que isso acontece, que ele faz isso comigo’, porque se fosse só a minha palavra contra a dele, eu ia viver tentando provar”, disse durante a entrevista.

No programa, Pamella relatou o motivo de uma das agressões do DJ Ivis contra ela. “A Mel tinha um mês e 2o dias. Naquela ocasião, eu estava com Covid, estava isolada dentro do quarto e todos os médicos me aconselhavam a amamentar. Ele não queria. [Ele queria] que eu não amamentasse porque disse que eu ia passar Covid para ela”, iniciou. De acordo com a arquiteta, um dos vídeos capturou o exato momento em que ela saiu do quarto para amamentar a filha porém foi interrompida por Iverson. “Quando ele me agride com a blusa, ele estava saindo de casa. Era exatamente o momento que eu saí do quarto para poder amamentar a Mel. Aí ele vem e me agride com a camisa. Eu insisto em amamentar a neném, por isso que eu vou, esboço, e tiro ela do carrinho para colocar ela no meu colo. É a hora que ele já tem vestido a roupa e já me agride puxando meu cabelo.”

Na gravação, além de Pamela, Iverson e Mel, é possível ver uma outra mulher. “Essa mulher é a minha mãe, e ela não esboça nenhuma reação justamente por medo dele”, afirmou a arquiteta. Pamela diz que nunca contou para a mãe sobre as agressões. “Ela descobriu presenciando”, alegou. A arquiteta revelou também que demorou para denunciar porque queria manter a família e porque era dependente financeiramente do ex-marido. Mas a situação mudou quando Pamella percebeu que não havia vontade de mudar por parte de Iverson. “Ele fazia tudo de propósito, fazia porque queria. Ele decidia fazer aquilo ali. Não adiantava nenhum esforço meu para manter o casamento. Ele não demonstrava arrependimento. Não dizia que ia melhorar, que agora ia ser diferente. Nada”, desabafou. “Eu não queria ser exemplo, jamais imaginei isso para a minha vida. Espero que as autoridades deem atenção a todos os casos e não só ao meu por envolver uma pessoa conhecida. A violência não deve ser rotina dentro de casa, por isso encorajo as mulheres a denunciarem. Não há justificativa para uma agressão, o ato de bater é uma ação, é o propósito de quem age assim”, concluiu.





Fonte: Jovem Pan