Obra de arte em campo de arroz no Japão celebra Jogos Olímpicos de Tóquio | Pop & Arte

0
23


Do solo, é difícil distinguir as diferentes variedades de arroz em um campo em Gyoda, Japão, mas de cima pode se ver uma enorme obra de arte celebrando os Jogos Olímpicos.

A gigantesca instalação traz imagens icônicas japonesas, como a famosa onda ou o Monte Fuji – da xilogravura de Katsushika Hokusai – e um ator kabuki, com uma pintura facial marcante, semelhante à que apareceu na cerimônia de abertura das Olimpíadas de Tóquio.

As imagens fazem parte de uma tradição anual iniciada em 2008 pela cidade de Gyoda, em Saitama, ao norte de Tóquio, na tentativa de atrair turistas.

Em 2015, eles alcançaram um recorde no Livro Guinness ao criar a maior obra de arte em campos de arroz do mundo (28.000 m2).

A cada ano, um comitê propõe um novo desenho e centenas de voluntários plantam variedades de arroz de diferentes cores para produzir imagens espetaculares que podem ser vistas de um observatório próximo, a 50 metros de altura.

O projeto é selecionado no início do ano e o plantio ocorre por volta do mês de maio.

Em 2019, o tema homenageou a Copa do Mundo de Rugby, realizada no Japão.

A imagem deste ano teve como objetivo destacar a herança cultural japonesa, partindo do pressuposto de que uma multidão de estrangeiros visitaria o país para os Jogos Olímpicos.

Mas não foi o caso, pois os espectadores estrangeiros foram proibidos e a maioria dos eventos dos Jogos são realizados a portas fechadas.

“É muito mais dinâmico do que eu esperava”, disse à AFP Kiyo Hoshino, visitante de 23 anos.

“Eu esperava algo mais simples. Mas é mais complicado no design e em uma escala realmente grande. Fiquei impressionado com a arte tão panorâmica”, disse ele.

A manutenção da obra de arte, evitando que as diferentes cores se misturem ou se misturem com outras plantas, envolve muito trabalho.

Nesta sexta-feira (30), quase uma dúzia de funcionários do departamento de agricultura da cidade limparam o campo, vasculhando a vasta área com botas de borracha e armados com foices.

O projeto também busca unir a comunidade e promover o interesse pela agricultura.

Em um ano normal, cerca de mil pessoas estão envolvidas na complexa tarefa de plantar as variedades certas de arroz no lugar certo para produzir a obra de arte.

Entre eles estão voluntários com alguma experiência agrícola e outros sem, incluindo crianças locais.

Mas a pandemia obrigou os organizadores a reduzir o número de participantes pela metade, embora as pessoas tenham outra chance de participar quando o arroz for colhido em outubro.

Todos os participantes recebem dois quilos de arroz como presente de agradecimento, no final de novembro.

Imagem aérea mostra obra de arte em campo de arroz em Gyoda, no Japão — Foto: Harumi Ozawa/AFP

Semana Pop: Casal inseparável, cama

Semana Pop: Casal inseparável, cama ‘anti-sexo’ e mais fofocas dos bastidores da Olimpíada



Fonte: Pop & Arte