Morre o inovador estilista Pierre Cardin aos 98 anos

0
44


Conhecido por lançar o vestido bolha, o estilista vestiu Eva Peron, Elizabeth Taylor, os Beatles e Mick Jagger

Reprodução/Twitter/AcadBeauxartsPierre Cardin fez história em Paris e ficou conhecido no mundo

O estilista Pierre Cardin, que durante suas mais de sete décadas inovou no mundo da moda apostando em formas geométricas para a alta costura, morreu nesta terça-feira, 29, aos 98 anos. A informação foi divulgada pelo compositor Laurent Petitgirard, secretário da Academia Francesa de Belas Artes. Cardin morreu em um hospital em Neuilly, em Paris. Filho de um rico comerciante de vinhos, o estilista nasceu perto de Veneza em 2 de julho de 1922, ele e sua família se mudaram da Itália para a França quando ele tinha dois anos. Segundo a CNBC, o estilista tinha apenas 14 anos quando começou como aprendiz de alfaiate. Aos 23, ele se mudou para Paris, estudando arquitetura e trabalhando com a grife Paquin e depois com Elsa Schiaparelli. Na capital francesa, conheceu o cineasta Jean Cocteau e ajudou a desenhar máscaras e figurinos para o filme “La Belle et La Bete”, de 1946.

Em 1953, Cardin apresentou sua primeira coleção feminina e no ano seguinte, ele fundou sua primeira boutique feminina, chamada Eve, e lançou o famoso vestido bolha. A peça ganhou reconhecimento internacional e, logo, sua criação estava sendo usada por nomes ​​como Eva Peron, Rita Hayworth, Elizabeth Taylor, Brigitte Bardot, Jeanne Moreau, Mia Farrow e Jacqueline Kennedy. Em 1957, ele viajou para o Japão, tornando-se um dos primeiros designers europeus a explorar as influências asiáticas. No mesmo ano, ele abriu outra boutique em Paris, desta vez masculina, a Adam, com gravatas coloridas e camisas estampadas. Mais tarde, ele fez os icônicos ternos sem colarinho para os Beatles e ajudou a vestir clientes como Gregory Peck, Rex Harrison e Mick Jagger.

Um dos seus grandes momentos foi em 1959, quando ele chocou o mundo da moda ao apresentar um desfile de prêt-à-porter em uma loja de departamentos, a Printemps, em Paris. Após o desfile, ele foi expulso da elite Chambre Syndicale, a associação francesa de estilistas de alta costura, mas ele acabou sendo reintegrado mais tarde. Com seu nome extremamente conhecido, ele começou a assinar diversos e variados produtos como perfumes, canetas e cigarros. Em 2002, cerca de 800 produtos com seu nome estavam sendo vendidos em mais de 140 países, gerando US $ 1 bilhão por ano.





Fonte: Jovem Pan