Michelle Barros deixa a Globo e ex-repórter da emissora comenta: ‘Nos empurra para fora’

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Jornalista, que tapava buraco como apresentadora dos jornais de SP, disse que quer se arriscar em algo novo

Reprodução/Instagram/michellebarros
Michelle Barros
Michelle Barros passou 12 anos na Globo e apresentou todos os jornais locais de SP

A jornalista Michelle Barros anunciou que pediu demissão da Globo após 12 anos de emissora. Em um post de despedida, a apresentadora disse que quer se arriscar em algo novo envolvendo jornalismo e entretenimento, dando como exemplo a transmissão do Carnaval que fez este ano ao lado de Chico Pinheiro, outro jornalista que deixou a Globo recentemente. No entanto, o que chamou a atenção dos seguidores foi um comentário feito pela jornalista Veruska Donato, que saiu da emissora no final do ano passado. “Amiga, a Globo é uma escola, mas ela nos empurra para fora. Isso não é para você! Você merece mais, muito mais. A Globo perde”, escreveu. A declaração da ex-repórter da Globo não passou despercebida e ela decidiu explicar seu posicionamento aos seguidores da jornalista: “Ela não foi valorizada no tamanho que merecia, todos sabemos disso. Ela merecia muito mais do que recebeu. É maravilhosa”. Michelle trabalhou por um período como repórter de rua, mas nos últimos sete anos passou a substituir os apresentadores dos telejornais de São Paulo, como o “Bom Dia SP” e as duas edições do “SPTV”. 

“Estive em todas as bancadas de Sampa. Aprendi com um time de primeira, inspirei-me, evolui! Vocês me deixaram à vontade para opinar, ser dura quando tem que ser, ser sorridente quando o momento pede – tal qual a vida. Estive à frente das duas últimas transmissões do carnaval de São Paulo. Na deste ano, fiquei no ar por quase 10 horas na noite 1 e por volta de 8 horas na seguinte. Saboreei cada minuto, sorri, abracei, festejei! Quero mais disso: jornalismo com entretenimento, leve, conversado, para você, com você. Faz tempo já que sinto que fechei um ciclo”, comentou a jornalista. “Aos 42 anos, 22 deles no jornalismo, decidi que vou me abrir para isso: novos formatos, novas histórias, novas perspectivas”. Apesar de cobrir vários âncoras, Michelle não foi titular de nenhum telejornal da Globo. Com a saída de Carlos Tramontina e com a ida de César Tralli para o “Jornal Hoje”, houve uma dança das cadeiras, mas ela não foi envolvida. Alan Severiano, que ficou no “SP2” durante a pandemia no lugar de Tramontina, assumiu o “SP1” no lugar de Tralli, e José Roberto Burnier, que estava na GloboNews, foi colocado como âncora da segunda edição do jornal local de São Paulo. 





Fonte: Jovem Pan