Ex-BBB Maria desabafa após críticas por criar OnlyFans: ‘Paga minha comida’

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Atriz disse que o corpo da mulher sempre foi usado para vender e que ela está apenas decidiu capitalizar com a sexualização que fazem do seu corpo

Reprodução/Instagram/eumariaMaria disse que decidiu lucrar no OnlyFans com a sexualização que fazem do seu corpo

A atriz Maria, que participou do “BBB 22”, fez um desabafo após ser criticada por criar uma conta no OnlyFans, rede social destinada ao público adulto na qual os seguidores pagam para ter acesso a conteúdos eróticos. Ao postar no Twitter que os fãs ficariam “passados com as fotos” que estava produzindo para a plataforma, algumas pessoas fizeram comentários maldosos dizendo, por exemplo, que isso era uma “decadência” e o destino de uma subcelebridade. Nos stories do Instagram, Maria disse que o corpo da mulher é sempre usado para vender, tanto em comerciais como pela indústria cultural em clipes e cenas de nudez que são colocadas sem contexto em obras. “Meu corpo é meu instrumento de trabalho em todas as áreas que atuo e eu poderia estar sensualizando em qualquer uma delas, mas essa eu escolhi. Isso que incomoda. Qual o espanto em ver que hoje eu tenho 21 anos e entender que eu cresci, engordei, passei da puberdade, minha voz engrossou e que agora vocês acompanham uma jovem mulher? Adulta. Independente. Maior de idade”, declarou. 

A ex-BBB, que foi expulsa do reality show da Globo após bater com um balde na cabeça de Natália, acrescentou que gostaria de ganhar dinheiro apenas com sua arte e que fosse chamada para trabalhos não apenas para “preencher cotas”. “Gostaria de andar por aí em eventos e shows sem maquiagem, sem me preocupar com a forma que me visto ou sento na cadeira, mas tudo isso ainda é utopia. Eu escolhi trabalhar na indústria da música e do audiovisual sabendo que para gente como eu, o buraco é mais embaixo. Esse dinheiro paga minha comida, meus exames, meus funcionários, meu aluguel, minha conta de luz, minha água, minha aula de canto, meus estudos, minha terapia e até a ração dos meus cachorros”, afirmou Maria. “Eu simplesmente capitalizei com a sexualização que fazem do meu corpo, colocando os limites do que eu quero expor e escolhendo a forma em que faço isso.”





Fonte: Jovem Pan