Estudante acusa ex-produtor do ‘BBB’ de assédio sexual por pedir fotos íntimas

0
10


Em seu Instagram, vítima disse ter sido abordada pelo profissional nas redes sociais e que o episódio não foi um caso isolado

Reprodução/ Instagram @alinevargas85Estudante de odontologia foi às redes sociais denunciar o caso

Estudante de odontologia, a mineira Aline Vargas recorreu às redes sociais para denunciar um produtor do reality show Big Brother Brasil, exibido pela TV Globo. Ela afirma que teria sido vítima de abuso sexual durante o processo seletivo responsável por escolher quem participará do reality show no próximo ano. A Polícia Civil de Minas Gerais instaurou um inquérito para apurar o caso. Em publicação feita em suas redes sociais, Aline falou sobre o caso, dizendo que o produtor a procurou no Instagram e disse que queria a “acompanhar de perto”. Entretanto, segundo a estudante, ele pediu fotos nuas para ela em duas ocasiões e que, após negar o pedido, o profissional disse que ela teria “pequenas chances” de ir para o reality. “Dei uma resposta à altura, coloquei ele no lugar. Acordei com uma mensagem de bom dia com ele dizendo que eu tinha pequenas chances de entrar no ‘Big Brother Brasil’, que eu não era perfil do ‘Big Brother Brasil’”, afirmou Aline.

Além disso, a estudante disse que o episódio não foi um caso isolado, relatando eventos semelhantes. “Também sofri de um outro produtor e de um ex-diretor do ‘BBB 20’ que eu conheci e ele falou que isso é comum, que eles levam para o apartamento e que existe essa troca de favor sexual e que nem sempre a pessoa pode entrar”, explicou Aline, que concluiu fazendo um apelo. “Mulheres, denunciem se vocês também foram assediadas verbalmente, pela internet ou pessoalmente. Não se calem”. Procurada pela Jovem Pan, a TV Globo enviou uma nota dizendo que o funcionário acusado pela estudante não trabalha mais lá e que relatos semelhantes são “apurados criteriosamente”. “O colaborador em questão não está mais na empresa. Aproveitamos para reiterar que temos um Código de Ética, que deve ser seguido por todos nossos colaboradores, e uma ouvidoria pronta para receber quaisquer relatos de violação ao Código. Todo relato é apurado criteriosamente assim que a empresa toma conhecimento e as medidas necessárias são adotadas”, diz o comunicado.





Fonte: Jovem Pan