Escritor chileno Germán Marín morre aos 85 anos

0
19

O escritor chileno Germán Marín, autor de obras como “Círculo Vicioso” e “O Palácio do Riso”, que se tornou célebre por sua “literatura incômoda”, morreu neste domingo (29), informou nesta terça-feira (31) a editora Ediciones UDP, que publica suas obras.

O autor tinha 85 anos, e a causa do falecimento não foi divulgada, embora ele sofresse há muito tempo com problemas de saúde.

Ao longo da carreira, Marín publicou mais de 20 livros, o primeiro “Fogos Artificiais”, em 1973. Exemplares da obra foram destruídos durante a ditadura de Augusto Pinochet e a reedição só aconteceu em 2018.

Durante o período da repressão, viveu no exílio, primeiro no México e depois da Espanha, neste último, onde atuou no meio editorial, mas sem escrever.

A volta ao Chile aconteceu já na década de 90, onde publicou uma trilogia que se tornou internacionalmente conhecida: “História de uma Absolvição Familiar”, composta pelos livros “Círculo Vicioso”, “As Cem Águias” e “A Onda Morta”, que representaram uma nova versão escrita da história recente do país sul-americano.

O estilo de Marín e suas obras ficaram conhecidos como de difícil classificação em correntes literárias, apontada como de estética radical, diante de outros escritores menos preocupados com os problemas sociais chilenos.

Durante a carreira, o escritor recebeu diversos prêmios, se mantendo ativo até os fim da vida, já que publicou semanas atrás o último livro “Um Escuro Pedaço de Vida”.

*Com EFE


Fonte: Jovem Pan