Diogo Vilela expõe detalhes da sua demissão da Globo: ‘Levei um susto’

Ator, que deixou a emissora em 2015, contou qual foi a justificativa da empresa ao romper seu contrato

Reprodução/YouTube/inteligencialtdaDiogo Vilela
Diogo Vilela disse a Globo alegou problema financeiro ao demiti-lo

O ator Diogo Vilela deu detalhes de como foi sua demissão da Globo em 2015. O veterano artista disse que foi um dos primeiros a ser desligado quando a emissora começou a quebrar os contratos longos que tinha com os atores e adotar uma nova política na qual passou a fechar contratos por obra. Antes, era comum a empresa manter artistas contratados mesmo que estivessem na “geladeira”, ou seja, sem fazer novela ou série. Durante participação no podcast “Inteligência Ltda”, Diogo contou qual foi a justificativa da Globo ao demiti-lo: “Eles aludiram que era um problema financeiro, disseram que meu salário estava alto, que tinha que haver adequação que eles iriam mudar”. Mesmo sabendo que um dia deixaria a Globo, o ator confessou que não esperava que seria naquele momento. “Levei um susto! Achei que haveria uma renovação porque eu fazia sucesso ali, mas entendi.”

Sem saber o que fazer, o intérprete de Arnaldo no humorístico “Toma Lá Dá Cá” viajou para a Itália a convite do irmão e da cunhada. “Fiquei meio perdido, a gente quando trabalha em uma empresa, acorda todo dia sete horas da manhã, faz a barba, vai decorado e faz o que tem que fazer. Fiquei com saudade daquilo, mas não perdi minha identidade como artista”, enfatizou. Na visão do ator, a Globo “é uma empresa que preza a juventude” e busca sempre se adequar “a linguagem do novo”. Diogo contou que atualmente ganha a vida fazendo teatro, assim como no início da carreira artística. “Hoje em dia não sou mais a pessoa assalariada que eu era. Ganhava um salário excelente. Minha vida mudou, vivo hoje com menos coisa, mas vivo uma vida confortável”, comentou. “Não voltei para o teatro porque não tinha mais a televisão, eu sempre estive no teatro e sabia que essa era a minha morada.”



Fonte: Jovem Pan