canos de PVC se transformam em violinos

0
14


Por Leonardo Benessatto

SÃO PAULO (Reuters) – Geralmente utilizados em construções e instalações hidráulicas, canos de PVC viram violinos e inspiram jovens músicos que fazem parte de um projeto cultural na cidade de Santo André, em São Paulo.

“Eu vejo de uma maneira muito mágica essa construção de instrumentos de PVC, porque não chega para gente uma placa de PVC, chega o cano de PVC, como a gente compra um cano em um depósito”, disse o maestro Rogério Schuindt, responsável pelo projeto.

“É um cano de PVC que se tornou violino, que a gente faz música, toca, faz muita coisa legal. Isso é mágico”, acrescentou o maestro.

O Projeto Locomotiva, inspirado em uma iniciativa venezuelana de 1975 que oferece aulas gratuitas de música para crianças e adolescentes de baixa renda da região do Grande ABC, encontrou nos canos de PVC uma saída acessível e barata para conseguir ampliar o acesso aos instrumentos musicais, que costumam ter valores elevados.

A ideia surgiu em 2018 e também visava atender à grande demanda, que já formava uma longa fila de espera, uma vez que para comprar os instrumentos são necessários patrocinadores. A solução mais barata fez com que a fila de espera fosse zerada, possibilitando à organização receber cada vez mais jovens entre 7 e 17 anos.

Além de violinos, o projeto também produz violoncelos e possui sua própria orquestra.

O valor médio de um violino no mercado atualmente é de 800 reais, enquanto um violino feito por um luthier pode chegar a até 8 mil reais, dependendo da madeira, disse Ivan da Silva Oliveira, luthier que participa do projeto. Com o material de PVC (Policloreto de Vinila), o custo cai para aproximadamente 300 reais, disse.

“É um processo que dá um pouco de trabalho para fazer, é demorado” disse Ivan, acrescentando que, apesar do trabalho necessário para transformar os materiais em instrumentos musicais, a recompensa é gratificante.

“O mais importante é isso, levar a música para todas as casas, todas as pessoas”, acrescentou.

As doações de canos de PVC chegam por meio da empresa petroquímica Braskem, uma das patrocinadoras do projeto, que disponibiliza o material bruto para que a “mágica” aconteça.

O processo de produção consiste em 42 etapas que envolvem atividades como corte, aquecimento, moldura e recorte.

“É uma coisa sensacional saber que um cano que leva água, agora traz música”, afirma Gabriel Santos Espinoza, de 11 anos, um dos alunos do projeto.

(Reportagem adicional de Patrícia Vilas Boas)

tagreuters.com2021binary_LYNXMPEH890R4-BASEIMAGE










Fonte: Mix Vale