Unicamp formaliza lista com resultado de consulta acadêmica para Doria nomear próximo reitor | Campinas e Região

0
12


A relação definida durante reunião do Conselho Universitário (Consu), órgão máximo de deliberação, mantém os resultados da votação feita por alunos de graduação e pós, docentes e funcionários técnico-administrativos. Completam a lista o médico Mario Saad, que foi superado no 2º turno; e o engenheiro agrônomo Sérgio Salles-Filho, que teve menor percentual de votos ponderados no 1º turno.

O ofício com a lista tríplice será elaborado pela Secretaria Geral da Unicamp e encaminhado a Doria. Tradicionalmente, o governador nomeia o primeiro colocado e o sucessor do físico Marcelo Knobel tomará posse em 19 de abril. O mandato do 13º reitor da história da Unicamp vai até dezembro de 2024, após redução excepcional no período de duração aprovada pelo Consu – veja abaixo detalhes.

Durante o 2º turno da votação remota, com e-voto, participaram 12,6 mil integrantes da comunidade acadêmica da Unicamp. Tom Zé foi o mais apoiado por docentes e alunos de graduação e pós; enquanto Saad foi o preferido entre funcionários. O mesmo perfil já havia sido registrado no 1º turno.

Votos por categoria no 2º turno da consulta para reitor

Candidato Docentes (peso 3/5) Estudantes (peso 1/5) Funcionários (peso 1/5) Votos ponderados
Tom Zé 873 5205 2041 51,97%
Mario Saad 843 1228 2411 48,03%

Caso Tom Zé seja confirmado pelo governador como novo reitor da Unicamp, a médica Maria Luiza Moretti ocupará o cargo de vice-reitora. Clique para ler as propostas previstas pela chapa.

Chapa formada por Tom Zé e Luiza venceu consulta na Unicamp — Foto: Reprodução / Instagram

O vencedor da consulta é graduado em engenharia de alimentos pela Unicamp (1980), fez mestrado na mesma área e universidade (1984), e tem doutorados em engenharia de processos térmicos pela Martin Luther Universität, na Alemanha (1987) e em ciências econômicas pela Unicamp (1987).

Tom Zé tornou-se professor da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp em (1987), e é docente titular da instituição desde 2007. Pesquisador do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Tom Zé já publicou três livros, 235 artigos em revistas e tem nove solicitações de patentes junto ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI).

Os prêmios da carreira do engenheiro são: 1º lugar no Prêmio Jovem Cientista de 1989, que teve como tema “Conservar energia: um desafio de todos”, Prêmio de Reconhecimento Acadêmico “Zeferino Vaz” (2001 e 2010), e 1º lugar do Prêmio Jabuti de 2016, na categoria “Engenharias, tecnologias e informática”, como coautor do livro didático “Operações unitárias na indústria de alimentos”.

Orçamento de R$ 2,4 bilhões

A universidade tem orçamento estimado em R$ 2,84 bilhões, incluindo R$ 208,6 milhões de uma reserva financeira com objetivo de cobrir déficit de anos anteriores e o total previsto neste exercício.

Atualmente, ela é responsável por 8% da pesquisa acadêmica no país e tem 37 mil alunos matriculados em 65 cursos de graduação e 158 de pós. Já o quadro de funcionários ativos é formado por aproximadamente 2 mil professores e 7,1 mil servidores técnico-administrativos.

Além dos campi instalados em Campinas (SP), Limeira (SP) e Piracicaba (SP), a universidade estadual também contabiliza as áreas de dois colégios técnicos – Cotuca (Campinas) e Cotil (Limeira) – além do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas, em Paulínia (SP).

Embora esteja previsto no Estatuto da Unicamp que o mandato do reitor é de quatro anos, o Consu aprovou em agosto de 2020 uma redução excepcional de aproximadamente quatro meses no período da próxima gestão. Por isso, ela vai de 19 de abril deste ano até 31 de dezembro de 2024.

O objetivo é fazer com que a administração posterior tenha início em janeiro de 2025 e, portanto, seja encerrada em dezembro de 2028. A universidade estadual sustenta que a mudança implicará em ter somente uma gestão a cada ano fiscal, sem transição de reitores em abril, e para que o processo de consulta acadêmica não seja interrompido em anos posteriores por festas do fim de ano e Carnaval.

VÍDEOS: veja notícias de Campinas e região



Fonte: Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui