Unicamp define calendário para retomar atividades presenciais com teste para Covid-19 e volta de estudantes a partir de novembro | Campinas e Região

0
19

A Unicamp confirmou na noite desta segunda-feira (14) que definiu um calendário para retomada gradual das atividades presenciais nos campi, suspensas há seis meses em virtude da pandemia do novo coronavírus. Entre as medidas previstas em protocolos e diretrizes está o planejamento para aplicações de testes RT-PCR em toda a comunidade, incluindo professores, funcionários e alunos.

A data para retomada ainda é incerta, mas a Unicamp destaca que ela será estabelecida conforme as classificações em que se encontram Campinas (SP), Limeira (SP) e Piracicaba (SP) no Plano SP.

As cidades são justamente onde a universidade tem campi e a condição estabelecida no planejamento é que cada uma delas permaneça por ao menos 28 dias consecutivos na fase amarela ou verde da classificação do plano. Todas cumprem regras da fase amarela, com aval do estado, desde o dia 8.

“Serão testados todos os servidores e alunos da Unicamp pelo menos 72 horas antes do retorno às atividades presenciais. Serão também monitorados diariamente os sintomas de toda a comunidade através de App [aplicativo] acessível e simples onde os servidores e alunos responderão sobre a existência de sintomas hierarquizados por gravidade, antes mesmo de virem, diz nota da reitoria.

O investimento necessário não foi confirmado até esta publicação, mas a Unicamp destaca que serão usados insumos oriundos do Instituto Butantan e recursos provenientes de doações. Além disso, garante treinamento, formação e monitoramento diário da saúde de quem precisar voltar ao campus.

A comunidade é estimada em 46 mil pessoas e, de acordo com a instituição, deste total pelo menos 7 mil profissionais e alunos residentes da saúde já foram testados desde o início da pandemia. Caso eles apresentem sintomas relacionados à Covid-19, diz a assessoria, serão novamente avaliados.

Caso os três municípios sigam nesta condição até 4 de setembro, a previsão é de que depois disso a Unicamp estabeleça, enfim, data para início do retorno. A universidade diz, porém, que a proposta tem três fases subsequentes, com sete períodos que variam de duas a quatro semanas cada.

“Não há, portanto, data definitiva, a administração da universidade, após colocar em prática todos os protocolos estabelecidos no plano de retorno, se reunirá e definirá uma data provável”, diz nota.

Nas primeiras quatro semanas, que integram a “Fase 1”, ela estipula aumento gradual no número de funcionários, com intervalo de duas semanas entre cada período, sendo que a primeira prevê volta apenas de atividades administrativas e de suporte, com até 20%, e preferência para regime de rodízio.

Ao longo desta fase, segundo a Unicamp, ocorrem altas proporcionais nas capacidades de atendimento do transporte fretado/interno do campus, e serviços do restaurante universitário.

Somente após quatro semanas começa a “Fase 2”, quando a reitoria dará aval inicialmente para que 20% dos estudantes de graduação e pós retornem aos campi, e desde que eles cumpram uma série de medidas como distanciamento social, cuidados sanitários e sejam respeitados limites de ocupação em salas de aula, laboratórios e bibliotecas da universidade. Veja aqui a íntegra do planejamento.

Etapas para volta às aulas presenciais

  • 20% dos estudantes (campi e/ou unidade), sem atividades com contato físico;
  • até 50% dos estudantes, contato físico/esportes em espaços abertos;
  • liberado para retorno com cuidados de higiene pessoal e controle sanitário;

“O retorno será gradual, cuidadoso, paulatino e estimulando a manutenção para este segundo semestre ainda de atividades de ensino remotas. Excepcionalmente, em situações específicas, tais como necessidade de completar alguma disciplina prática ou estágio haverá a possibilidade de atividades presenciais”, destaca nota da reitoria ao mencionar, ainda que integrantes da moradia estudantil devem comunicar retorno à universidade com dez dias de antecedência.

Segundo a Unicamp, na “Fase 2” também é previsto o retorno gradual das crianças atendidas pela Divisão de Educação Infantil e Complementar, e toda esta etapa deve levar 12 semanas para terminar.

Já a “Fase 3”, quando espera-se por um controle da Covid-19 na área da universidade, a Unicamp prevê continuidade das medidas de higiene, distanciamento social, estudos sobre o tema e campanhas educativas. Além disso, destaca que cada fase pode ser reavaliada conforme evolução da pandemia.

Coronavírus: infográfico mostra principais sintomas da doença — Foto: Foto: Infografia/G1


Fonte: Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui