Unicamp abre 2º turno para definir novo reitor com disputa entre Tom Zé e Mario Saad | Campinas e Região

0
32


A Unicamp abre na manhã desta quarta-feira (24) o segundo turno do processo para escolha do novo reitor, com a disputa entre os candidatos Tom Zé e Mario Saad. Veja abaixo as propostas de cada um.

A consulta é por votação eletrônica, com e-voto, e vai indicar o 13º reitor da história da universidade estadual. Ela tem início às 8h30 e fica aberta até 17h30 desta quinta-feira (25). Podem participar os 35,1 mil professores, funcionários e estudantes dos cursos de graduação e pós da Unicamp.

A definição do novo reitor só irá ocorrer após a nomeação pelo governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que receberá da instituição de ensino e pesquisa uma lista que inclui ainda o nome do candidato Sérgio Salles-Filho. Ele recebeu o menor percentual de votos ponderados no primeiro turno.

Os resultados das consultas devem ser formalizados ao estado após reunião do Conselho Universitário (Consu), órgão máximo de deliberação, em 6 de abril. Tradicionalmente, o governador nomeia o primeiro colocado e o sucessor do físico Marcelo Knobel tomará posse em 19 de abril.

No primeiro turno, Tom Zé teve 35,24% dos votos ponderados e foi o mais apoiado por docentes e alunos participantes da votação; enquanto Saad ficou com 32,62% dos votos e foi o preferido entre os servidores que se manifestaram. O mandato do futuro reitor vai até dezembro de 2024.

Votos por categoria aos candidatos a reitor da Unicamp no 1º turno

Candidato Docentes (peso 3/5) Estudantes (peso 1/5) Funcionários (peso 1/5) Votos ponderados
Tom Zé 614 1.367 1.531 35,24%
Mario Saad 527 610 2.003 32,62%
Sérgio Salles-Filho 611 1.086 916 32,14%

Propostas dos candidatos na disputa do 2º turno

A apresentação, abaixo, ocorre por ordem de votos ponderados no 1º turno da consulta acadêmica.

Tom Zé – Faculdade de Engenharia de Alimentos

Tom Zé, candidato a reitor da Unicamp em 2021 — Foto: Antonio Scarpinetti / Unicamp

Mario Saad – Faculdade de Ciências Médicas

Mario Saad, candidato a reitor da Unicamp em 2021 — Foto: Antoninho Perri / Unicamp

No site da Secretaria Geral há, ainda, link para sites de campanha e e-mails para contato.

A votação do primeiro contou com as participações de 10,3 mil pessoas. A abstenção geral foi de 70,4% e o resultado indica que o grupo com maior adesão foi o de professores, enquanto o de estudantes teve mais ausentes. No processo foram registrados 314 votos brancos e 813 nulos.

Colégio eleitoral para escolha do novo reitor da Unicamp

Categoria Eleitorado Número de votos Ausentes
Docentes 1.949 1.834 115 (5,9%)
Estudantes 26.549 3.364 23.185 (87,33%)
Funcionários 6.639 5.194 1.445 (21,77%)

Os resultados indicam aumento de participantes em todos os grupos, no comparativo com o 1º turno da consulta em 2017. À época, a Unicamp contabilizou 9 mil votos, embora o colégio eleitoral fosse de 38 mil. O maior índice de abstenção foi de estudantes, o equivalente a 92,5%, enquanto que o percentual entre servidores foi de 32,7%, e ainda foi verificado resultado de 12,7% para docentes.

A votação do segundo turno é eletrônica e, por isso, a universidade diz que cada participante deve garantir que a conta de e-mail institucional esteja ativa e operacional.

“Caso use e-mail de redirecionamento, o provedor indicado não deverá bloquear a entrega de mensagens originadas pelo remetente [email protected], ou exigir passo de confirmação para liberar a mensagem do referido remetente”, diz nota da assessoria.

A universidade destaca, em outro trecho, que antes da pandemia já trabalhava na infraestrutura para permitir consulta remota antes da pandemia, e que o voto eletrônico é usado “há mais de uma década”.

A universidade tem orçamento estimado em R$ 2,84 bilhões, incluindo R$ 208,6 milhões de uma reserva financeira com objetivo de cobrir déficit de anos anteriores e o total previsto neste exercício.

Atualmente, ela é responsável por 8% da pesquisa acadêmica no país e tem 37 mil alunos matriculados em 65 cursos de graduação e 158 de pós. Já o quadro de funcionários ativos é formado por aproximadamente 2 mil professores e 7,1 mil servidores técnico-administrativos.

Além dos campi instalados em Campinas (SP), Limeira (SP) e Piracicaba (SP), a universidade estadual também contabiliza as áreas de dois colégios técnicos – Cotuca (Campinas) e Cotil (Limeira) – além do Centro Pluridisciplinar de Pesquisas Químicas, Biológicas e Agrícolas, em Paulínia (SP).

VÍDEOS: veja notícias de Campinas e região



Fonte: Fonte: G1

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui