União Europeia restringe o uso de nitritos e nitratos na fabricação de alimentos; saiba mais


A Comissão de Saúde e Segurança Alimentar da União Europeia implementou novos padrões para a utilização de nitritos e nitratos como aditivos alimentares, com o intuito de estabelecer limites mais rigorosos nesse sentido.

Essas medidas têm como objetivo proteger a população do Velho Continente contra a ação de bactérias patogênicas, como Listeria, Salmonella e Clostridium botulinum, ao mesmo tempo em que buscam reduzir a exposição a nitrosaminas, algumas das quais possuem propriedades cancerígenas.

Esses novos limites foram adotados com base em uma avaliação científica anterior realizada pela Autoridade Europeia para a Segurança dos Alimentos (EFSA) e foram aprovados pelos Estados membros da União Europeia.

Esses limites mais rígidos foram estabelecidos, considerando a diversidade de produtos alimentícios e as diversas condições de fabricação em toda a Europa.

As empresas do setor de alimentos têm um período de pelo menos dois anos para se ajustarem a esses novos padrões.

As substâncias em questão são comumente utilizadas como aditivos alimentares devido às suas propriedades antimicrobianas, sendo amplamente empregadas em produtos como embutidos, carnes processadas, peixes e queijos.

Os aditivos em questão desempenham um papel essencial como conservantes, contribuindo ainda para realçar a cor dos alimentos e prolongar a vida útil das carnes processadas.

As medidas são controladoras, mas não proíbem

Um estudo realizado pela Comissão Europeia, responsável pela medida em 2014, revelou que, com algumas exceções, a quantidade típica de nitritos adicionados a produtos à base de carne não esterilizados estava abaixo dos níveis máximos estabelecidos na União Europeia.

Em 2016, outros estudos envolvendo a indústria alimentar e diferentes produtos cárneos também sugeriram a possibilidade de reduzir os limites máximos de nitritos.

Grupos como o Foodwatch France defenderam a proibição do uso de nitritos e nitratos como aditivos alimentares.

A Comissária Stella Kyriakides, responsável pela Comissão de Saúde e Segurança Alimentar da UE, destacou a importância da implementação de novos limites para aditivos de nitritos e nitratos em alimentos.

Ela enfatizou que esse passo é fundamental para avançar na direção do Plano Europeu de Luta contra o Câncer e fez um apelo à indústria alimentar, instando-a a adotar prontamente essas regras embasadas na ciência e, sempre que possível, a considerar a possibilidade de reduzi-las ainda mais, priorizando a proteção da saúde dos cidadãos europeus.



Portal R7