Ufes diz que pode ter funcionamento ‘fortemente prejudicado’ no 2º semestre | Espírito Santo

0
11


A Universidade Federal do Espírito Santo (Ufes) pode ter o funcionamento “fortemente prejudicado” a partir do segundo semestre deste ano por conta da situação orçamentária da instituição.

“Como temos apenas 40% dos recursos orçamentários liberados, o funcionamento poderá ser fortemente prejudicado a partir do segundo semestre do ano, caso não sejam descontingenciados os outros 60% pelo Congresso Nacional, e liberados os valores que foram bloqueados pelo governo federal após sanção da LOA [Lei Orçamentária Anual]”, disse a universidade em nota.

A instituição não é a única a sofrer com a redução de recursos no país. Em 11 anos, o orçamento do Ministério da Educação (MEC) para as universidades federais caiu 37%.

Segundo a Ufes, mesmo que os recursos sejam descontingenciados e desbloqueados, a instituição terá grandes dificuldades para manter suas atividades de ensino, pesquisa e extensão até o final do ano, pois os valores procedentes do Tesouro previstos na parcela discricionária do orçamento (aqueles que a universidade tem autonomia para gerir) são cerca de 20% inferiores aos do ano passado.

A universidade disse também que vem sofrendo cortes substanciais no orçamento desde 2015.

“Essa situação se agrava se considerarmos a possibilidade de retomada gradual das atividades presenciais, tão logo seja seguro, o que exige de todas as instituições de ensino superior aportes diferenciados para adequar sua infraestrutura e adquirir insumos e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs). Por isso, é importante ressaltar a necessidade de recomposição do orçamento, pelo menos aos valores de 2020, para que consigamos alcançar o final do ano em funcionamento, mesmo que sacrificando projetos importantes”, divulgou a universidade.

A Ufes está trabalhando de forma remota, com apenas algumas disciplinas na área de saúde de modo híbrido.

A universidade está concluindo um período letivo neste mês de maio e iniciando outro a partir de 16 de junho. De acordo com a Ufes, a considerar os dados sanitários deste momento no Espírito Santo e o boletim de análise técnica do Comitê Operacional de Emergência da universidade, o início do próximo semestre também será de modo remoto.

A reportagem entrou em contato com o MEC sobre a situação alegada pela universidade e aguarda um posicionamento.

O MEC disse em nota que não tem medido esforços nas tentativas de recomposição ou mitigação das reduções orçamentárias das universidades, inclusive, promovendo ações junto ao Ministério da Economia para que as dotações sejam desbloqueadas e o orçamento seja disponibilizado em sua totalidade para a pasta.

‘Risco de parar’: o que dizem reitores e alunos sobre crise nas universidades federais

Vídeos: tudo sobre o Espírito Santo



Fonte: Fonte: G1