São Paulo tem política para prevenir abandono e evasão escolar – Notícias

0
38



Projeto que cria Política Municipal de Prevenção ao Abandono e Evasão Escolar foi sancionado pelo prefeito Ricardo Nunes (MDB) na última terça-feira (8) em ato simbólico na Prefeitura de São Paulo.



O projeto é de autoria da vereadora Cris Monteiro (Novo) com medidas para prevenir o abandono e evasão escolar, problemas agravados pela pandemia de covid-19. Um estudo do Unicef (Fundo das Nações Unidas para a Infância e Adolescência) em parceria com o Cenpec mostrou que em novembro de 2020, mais de 5 milhões de meninas e meninos não tiveram acesso à educação no Brasil – número semelhante ao que o País tinha no início dos anos 2000. Desses, mais de 40% eram crianças de 6 a 10 anos de idade, etapa em que a escolarização estava praticamente universalizada antes da covid-19.


36% dos estudantes tiveram dificuldade com a internet


Para atenuar o problema, a política propõe ações para deixar as aulas mais atrativas aos alunos e aumentar a frequência à escola como, por exemplo, maior uso da tecnologia na sala de aula. Outra ideia é utilizar a inteligência artificial para criar mensagens SMS de incentivo aos alunos e de acompanhamento das atividades, os nudgebots. Com base nas respostas ou na falta delas, é possível observar o comportamento dos alunos e pensar em estratégias de engajamento. O texto propõe ainda visitas aos alunos que abandonaram a escola ou estão prestes a deixar de frequentá-la para verificar os motivos da evasão.


Pesquisa: internet foi o maior problema das escolas em 2020


O PL propõe também uma versão moderna de acompanhamento vocacional dos alunos, chamado no texto de “Projeto de Vida”. O objetivo é que os professores ajudem os estudantes a identificar suas aspirações, interesses e metas e também conheçam as possibilidades profissionais e de estudo disponíveis após a conclusão do ensino básico, o que está previsto na BNCC (Base Nacional Comum Curricular).




Fonte: Fonte: R7