Saiba quem é a professora que perdeu emprego de R$ 20 mil por participar de atos de 08 de janeiro – Notícias


Professora universitária do campus da Universidade Estadual Paulista (Unesp) em Botucatu, Sandra de Moraes Gimenes Bosco perdeu um salário de R$ 21.185,26 após ser demitida pela instituição, na última semana.


A decisão foi publicada no Diário Oficial do Estado no último sábado (29), e o valor da remuneração foi obtido pela reportagem via portal da transparência do estado e confirmado pela assessoria de imprensa da Unesp.




Sandra estava afastada das atividades de ensino desde o dia 10 de janeiro, quando se tornou alvo de um processo administrativo movido pela universidade. Ela havia sido detida um dia antes, em um ônibus que retornava de Brasília.


        Compartilhe esta notícia no WhatsApp


        Compartilhe esta notícia no Telegram


O veículo transportava outras 44 pessoas e foi parado pela Polícia Rodoviária Federal em Onda Verde (SP). Os passageiros tinham marcas de balas de borracha nas pernas e confessaram que haviam participado da invasão do Congresso Nacional, do Palácio do Planalto e do Supremo Tribunal Federal (STF). Eles foram ouvidos e liberados.


A participação de Sandra nos atos foi considerada “infração disciplinar de natureza gravíssima”, após ser constatada “violação de deveres funcionais previstos no Estatuto dos Funcionários Públicos Civis do Estado”, informou a Unesp, por meio de nota.


Segundo a instituição, a professora violou os incisos 13 e 14 do artigo 241 da lei nº 10.261, de 1968, que dizem, respectivamente, “estar em dia com as leis, regulamentos, regimentos, instruções e ordens de serviço que digam respeito às suas funções” e “proceder na vida pública e privada na forma que dignifique a função pública”. A professora poderá recorrer da decisão.

 


Vida na Unesp

Sandra construiu sua carreira toda no campus de Botucatu da Unesp, universidade na qual se graduou em medicina veterinária, em 1995. Foi lá que ela fez sua residência, entre 1996 e 1998, no centro de zoonoses e saúde pública.

Em 2001, ela concluiu seu mestrado na instituição e, em 2005, finalizou o doutorado, em patologia. O pós-doutorado foi apresentado em 2007.

Desde 2010 atuava como professora no departamento de microbiologia e imunologia, no Instituto de Biociências do campus de Botucatu. Na graduação, dava aulas para os cursos de medicina veterinária, zootecnia, biomedicina, medicina, enfermagem, nutrição e ciências biológicas. Na pós, lecionava biologia geral e aplicada.

Em 2019, Sandra concluiu sua livre-docência. Seu último cargo na universidade foi de professora associada 3, com carga de 40 horas semanais.

A professora foi procurada pelo R7 por meio de sua conta no Facebook, mas não respondeu até a publicação desta reportagem.



Fonte: Fonte: R7