Público infantil é o que mais lê no Brasil, revela pesquisa – Notícias

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp





A última edição da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil revelou que 31% dos brasileiros nunca compraram um livro e quase metade da população não tem o hábito de ler. Contudo, esse cenário poderá ser diferente no futuro devido à formação de novos leitores, principalmente crianças, o público que atualmente é o mais assíduo na prática. Por isso, em comemoração ao Dia Internacional do Livro Infantil, em 2 de abril, é importante lembrar o impacto positivo do incentivo à leitura logo após a primeira infância.


Segundo o último levantamento realizado pelo IPL (Instituto Pró-Livro) em parceria com a Abrelivros, a Câmara Brasileira de Livros e o Snel (Sindicato Nacional dos Editores de Livros), a faixa etária dos 5 aos 10 anos de idade é o perfil com maior frequência de consumo de livros de literatura, independentemente do suporte. Essas crianças representam 23% de toda a população e costumam ler diariamente ou quase todos os dias por vontade própria.





Além disso, o gosto pela leitura é a principal motivação de 48% dos pequenos; outros 13% afirmaram que leem para aprender algo novo ou desenvolver alguma habilidade. Por isso estimular essas crianças a manterem ou criarem o hábito da leitura é extremamente importante, a fim de que no futuro esse interesse continue, mesmo com o aumento das distrações na área digital.


“Em casa, sempre lemos juntos, cada um o seu livro e o que mais gosta”, conta Miguel Croitor, leitor assíduo de apenas 5 anos. Ele acrescenta que a mãe mantém uma rotina de leitura no período da noite, quando todos estão disponíveis, tanto ele quanto o irmão mais velho, de 11 anos. “Eu jogo, assisto à TV e brinco muito, mas amo ler e percebo que estou ficando melhor nisso”, expressa o pequeno.


Nesse cenário, a editora Adotando a Leitura, voltada a publicações infantis, compartilha dicas essenciais para incentivar os pequenos a terem sempre um livro à mão. A primeira delas é que os pais devem ser o exemplo positivo no lar, pois 24% das pessoas são influenciadas pela mãe, pelo pai ou por parentes próximos em seu gosto pela leitura, de acordo com o IPL.


Já o segundo fator determinante é a compra do livro. Ao presentear crianças, deve-se sempre levar em conta que 29% delas são cativadas no primeiro contato com a obra; por isso uma capa bem desenvolvida, colorida e com mensagem clara é a escolha mais assertiva. Por último: manter o equilíbrio. Afinal, os pequenos vivem em uma era tecnológica, então é preciso administrar o tempo entre jogos, filmes e programas, para que a leitura seja integrada à rotina diária.






Fonte: Fonte: R7