Protestos surgem após corredora transgênero garantir 2º lugar em corrida feminina

Um pai da Califórnia expressou sua preocupação com o resultado de uma corrida durante a competição da Federação Interescolar da Califórnia (CIF), através de uma entrevista ao Fox News Digital.

Ele considerou o resultado “injusto” depois que uma mulher transgênero chamada Athena Ryan conquistou o segundo lugar nas finais femininas de 1.600 metros do torneio de atletismo do colégio, conhecido como Meet of Champions seccional.

Ryan, ao conquistar o segundo lugar (à direita), deixou Johnson (à esquerda) sem chances na competição pelo título estadual feminino.

Na corrida, Athena Ryan, representando a Sonoma Academy, ficou em segundo lugar, atrás de Hanne Thomsen, da Montgomery High School, e à frente de Ellie Buckley, da Campolindo High School.

Com esse desempenho, Ryan se qualificou para participar do CIF State Track & Field Championships na próxima semana. O tempo registrado por Ryan na corrida foi de 4 minutos e 55 segundos e 91 centésimos.

O vídeo que evidencia a insatisfação de Johnson com o resultado foi compartilhado pelo Conselho Independente de Esportes Femininos. No vídeo, ela demonstra seu descontentamento com um gesto de polegar para baixo.

Ryan expressou surpresa e satisfação com sua conquista, considerando-a um grande feito e um exemplo de superação.

Segundo Ryan, ela não esperava obter esse resultado, especialmente após enfrentar uma queda de desempenho nas últimas duas semanas, perdendo 17 segundos em seu melhor tempo da temporada.

No entanto, a notícia não soou bem para todos que estavam presentes.

Pai se sente injustiçado após filha perder competição feminina para uma transgênero

Um dos pais das competidoras que não venceram a corrida expressou sua objeção à participação de um indivíduo biologicamente masculino competindo contra as meninas, optando por não revelar seu nome devido a preocupações com possíveis represálias.

Esse pai manifestou uma forte oposição à situação, considerando-a inaceitável. Segundo ele, Ryan estava em quinto lugar nos momentos finais da corrida, quando de repente ultrapassou as meninas, o que causou sua insatisfação.

O pai também mencionou que as meninas não expressarão abertamente sua decepção em relação à inclusão de Ryan em sua competição esportiva, pois temem que isso possa ser interpretado como “bullying” e possivelmente afetar sua capacidade de competir no futuro.

A polêmica tem gerado grande transtorno nos Estados Unidos, considerando que este tem sido um debate atual acerca da inclusão de pessoas transgêneros no esporte.

Fonte: Fonte: R7