Principais mudanças no novo documento

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


A partir do dia 1 de março de 2022 começou-se a emitir o novo modelo de RG. Essa nova documentação traz uma série de novidades que chamou bastante a atenção. Afinal, com as mudanças do novo RG o Brasil entra para o padrão internacional de reconhecimento e emissão de documentos. O que quer dizer que agora haverá mais praticidade para o cidadão, bem como maior segurança no manuseio das informações, confira!

Leia mais: Mudança na CNH: Confira as 3 novas regras.

Maior segurança e praticidade

A principal novidade na nova emissão do RG fica em torno da unificação do documento. Afinal, a partir dessa mudança passamos a ter apenas um número oficial de registro, que é o número do nosso CPF. Com isso não há mais necessidade de decorar o número do CPF e do RG, pois haverá apenas uma identificação que servirá para todas as demandas.

Além disso, haverá a possibilidade de usar uma cópia digital autenticada, ou seja, que terá a mesma validade do documento oficial. Isso porque o novo RG virá com o QR Code, e qualquer agente público poderá conferir a veracidade do registro mesmo que esteja offline. Essa mudança permite que os cidadãos possam optar por levar o documento físico ou não.

Por fim, as pessoas também poderão escolher acrescentar outras informações importantes na folha de identificação. Como o tipo sanguíneo que a pessoa possui, se a pessoa é um doador de órgãos, além do número do NIS e nome social. Tudo isso para garantir que o documento seja o mais completo possível.

Quando fazer o novo modelo de RG?

Como mencionamos, a nova documentação já está disponível para quem quiser emitir, e qualquer pessoa que fizer o registro atualmente receberá esse modelo. Entretanto, a mudança ainda não é obrigatória, embora esse seja o modelo oficial de identificação na atualidade.

No caso das crianças de até 12 anos de idade, o documento ainda possui validade de até 5 anos. Já para as pessoas entre 13 e 60 anos terão até 10 anos para finalizar o processo e estar com a identidade dentro dos padrões. Quanto aos com mais de 60 anos, a documentação antiga seguirá válida por tempo indeterminado. Ainda assim, caso você queira usufruir rapidamente dos benefícios da atualização, então basta ir ao órgão emissor responsável do seu estado e solicitar a nova identidade!



Fonte: Fonte: R7